#Lula fez duras críticas ao #PT e à presidente Dilma, em evento promovido pelo Instituto Lula, ocorrido ontem (22), e que reuniu o ex-presidente e o ex-primeiro ministro socialista Felipe Gonzáles, da Espanha. Ao que tudo indica, a nova postura de Lula é uma tentativa de se afastar do PT e desvincular seu nome do governo Dilma. A motivação é simples. Eleições 2018 para Presidência da República.

Lula não quer o ônus de ser associado ao fraco desempenho do governo federal na área econômica. Alguns indicadores como os índices alarmantes de inflação, PIB pífio, indústria em queda, desemprego aumentando, TCU investigando as contas de 2014 e dólar em alta, não podem orgulhar nem mesmo ao mais dos otimistas "companheiros", do PT. Além disso, Dilma não tem cumprido suas promessas de campanha, quando disse que não prejudicaria os trabalhadores, nem aumentaria as tarifas, nem que a "vaca tossisse". A vaca tossiu. Depois de eleita, o inevitável aconteceu. Todas as decisões equivocadas do primeiro mandato estão mandando a conta, para serem pagas, em 2015

Dilma, que em um primeiro momento, parecia ser a escolha mais acertada para dar continuidade aos projetos de Lula e coroar seus planos de se tornar presidente, novamente, em 2018, está virando um pesadelo. Nem Lula, nem PT parecem acreditar que o país volte aos trilhos e o sol volte a brilhar.

Não é por acaso que Lula vem batendo na presidente e no seu partido. O Datafolha divulgou simulação, onde mostra que se as eleições fossem hoje, entre ele e Aécio Neves, o senador ganharia de 35% a 25%. A melhor defesa é o ataque e assim tem sido o comportamento do ex-presidente. Atacar quem ele pensa ser, no momento, nocivo a sua imagem.

Conforme divulgou o Infomoney, tanto no evento do instituto, quanto em uma reunião com religiosos, Lula desabafou que a presidente não ouve suas orientações e insinuou que ela mentiu durante a campanha eleitoral. Está claramente magoado por não mais influenciar os bastidores de Brasília.

Quanto ao PT, Lula cobra a volta dos sonhos e da utopia. Acusa seus companheiros de só pensarem em cargos, em emprego e serem eleitos. De não chorarem mais por suas crenças.

O fato é que a operação Lava Jato acelerou as coisas. O PT está no meio do olho do furacão, escândalo sobre escândalo envolvendo pessoas do partido. E para piorar, acontece a prisão de Marcelo Odebretch, presidente da empreiteira e pessoa muito próxima de Lula e Dilma.

A presidente Dilma afirmou, nesta terça feira, que todos tem direito a fazer crítica, inclusive Lula, conforme divulgou o jornal a Folha de S. Paulo.

O ex-presidente está, estrategicamente, tentando de descolar de tudo e de todos que possam, de alguma forma, atrapalhar sua agenda para 2018. #Dilma Rousseff