Hilary Clinton anunciou oficialmente que é pré-candidata à presidência dos Estados Unidos pelo Partido Democrata. Seu opositor, poderá ser Jeb Bush, que concorre à indicação pelo Partido Republicano.

Hilary foi primeira-dama dos #EUA de 1993 a 2001. Depois disso, iniciou carreira política independente, pelo mesmo partido de seu marido, o ex-presidente Bill Clinton. Considerada uma liberal por mais da metade dos jornalistas, de acordo com pesquisa realizada pelo instituto Gallup, foi a primeira mulher a ser eleita senadora pelo Estado de Nova York, iniciando seu primeiro mandato em 2000. Foi reeleita em 2006 e pré-candidata para concorrer à presidência pelo Partido Democrata em 2008, quando perdeu para Barack Obama.

Publicidade
Publicidade

No governo Obama, foi Secretária de Estado de 2009 a 2013, cargo que exerceu com grande aprovação popular. Hilary publicou cinco livros, entre os quais uma autobiografia intitulada "Living History". Desta vez favorita do partido na corrida pelo comando da Casa Branca, é favorita também nas pesquisas de intenção de voto, que indicam que pela primeira vez os Estados Unidos podem ser governados por uma mulher.

Jeb Bush, que preferiu usar como marca de sua campanha apenas o primeiro nome, com o logotipo "Jeb!", é filho e irmão de ex-presidentes (George Bush e George W. Bush). Ex-governador da Flórida, lançou-se pré-candidato pelo Partido Republicano, tradição familiar. O partido conta com dez pré-candidatos para 2016, mas nenhum com um sobrenome de peso como o seu, embora ele prefira não associar sua candidatura aos governos anteriores de sua família.

Publicidade

Jeb, que morou na Venezuela e é casado com uma mexicana, surpreendeu falando em espanhol no lançamento de sua campanha, quando afirmou que apoia a reforma nas leis de imigração. Jeb sabe que para se eleger é preciso conquistar votos dos latinos que vivem na Flórida e, contrariando a tendência do Partido Republicano que nunca foi a favor dos imigrantes, fez questão de revelar sua simpatia pela causa.

Embora os sobrenomes se repitam, os candidatos se esforçam em demonstrar que são indivíduos independentes e que pretendem realizar as mudanças necessárias para resolver os problemas do país, que vão da economia às questões da saúde pública, sem esquecer os milhões de imigrantes que buscam o sonho americano. #Eleições