O G7 concentra as atenções de todo o mundo. Líderes mundiais, quando reunidos, despertam a curiosidade. Depois de declarações desmentidas de Obama, que provocaram efeitos no mercado financeiro, chegou a vez da chanceler da Alemanha, Angela Merckel, apresentar suas argumentações. Desta vez, suas declarações não só foram confirmadas, mas também foram colocadas de forma autoritária, como exigência impositiva aos participantes.

Ao colocar sua posição, Merckel se mostrou irritada contra as medidas leves até agora adotadas para diminuir a emissão de gases causadores do efeito estufa. O problema parece ter sido relegado a um segundo plano.

Publicidade
Publicidade

As colocações foram efetuadas no último dia do evento, nesta segunda-feira (8), e repercutiram na imprensa mundial.

Conhecida como a Chanceler do Clima, ela colocou exigências que permitam que revitalize suas credenciais verdes, antecedendo o próximo evento sobre o clima, em encontro programado pela ONU. Merkel considera importante que o assunto tenha destaque no COP21, que irá ocorrer em dezembro deste ano.

Ela dá destaque às reuniões preliminares que irão preparar a agenda desta importante reunião. Nela será tratado, de modo mais rigoroso, o projeto de um documento para substituição do protocolo de Kyoto, de resultados decepcionantes e contra os quais Merckel se posicionou.

Em outubro, depois de duas reuniões que devem ocorrer para costurar o pré-acordo, acontece uma reunião de negociações que irá ocorrer em Bonn (Alemanha).

Publicidade

Nela serão dados os preparativos finais para o evento de dezembro em Paris. As questões de mudanças climáticas não podem ser esquecidas. São itens de sobrevivência do planeta e seus habitantes.

Durante o evento, serão discutidos outros assuntos importantes, tais como: o combate a epidemias e outros problemas de saúde, a luta contra o Boko Haram e o desenvolvimento africano, questões de destaque nos debates europeus, mas que afetam todo o mundo.

Em resposta, o presidente francês Francois Hollande garantiu seu comprometimento e voltou a destacar o tratamento dos temas na COP21 no final do ano. Na ocasião, ele destacou também o comprometimento do país com a proposta do final da dependência dos combustíveis fósseis. É um encontro que promete e traz a esperança que desta vez as metas colocadas sejam atendidas. #Natureza #Governo