A situação dos imigrantes preocupa o papa Francisco. Durante esta semana conflitos colocam em risco a segurança de pessoas inocentes. A situação na #Europa fica cada vez mais crítica. Poderá haver o bloqueio de fronteiras e provocar conflitos. As pessoas revelam medo de perder seus empregos e saem em defesa de seus "direitos".

São centenas de imigrantes retidos na fronteira entre Itália e França. O fato aconteceu logo após o governo francês estabelecer controles rígidos em sua fronteira. Aqueles que não têm visto de permanência na União Europeia não são aceitos. Suíça e Áustria também retomaram os controles na fronteira com a Itália.

Publicidade
Publicidade

É preciso saber algo mais sobre o termo xenofobia. Ele é definido como o sentimento de desconfiança ou antipatia por pessoas que vem de fora do país. Este sentimento já foi motivo para muitos conflitos localizados e guerras entre países.

Este sentimento se espalha pela Europa em razão da mobilidade das pessoas de regiões atingidas por catástrofes ou daquelas envolvidas em guerras religiosas, que colocam sentimentos confessionais em lados diversos, em uma guerra sem quartel e sem propósito.

A situação se torna insustentável ao ponto do papa Francisco decidir, nesta quarta-feira a fazer um pronunciamento sobre o fato, que será tratado com maiores detalhes em sua encíclica sobre ecologia, onde ele irá tratar dos cuidados com o que considera ser "a nossa casa comum".

O apelo foi feito diretamente à comunidade internacional "...

Publicidade

que adote medidas eficazes e harmônicas contra as migrações forçadas". A situação atual na Itália e na França é delicada com relação à forma como a população encarar a onda de imigrantes que fogem das guerras e da fome provocada por tragédias naturais que ocorrem no Oriente Médio e na África.

Ao dirigir-se aos políticos e habitantes destes países o papa declara: "Oremos pelos numerosos irmãos e irmãs que buscam refúgio longe de sua terra, que buscam uma casa para viver sem medo, para que sejam respeitados sempre com dignidade". #Igreja

O papa buscou ser enfático, mas sabe que há uma tendência ao agravamento do conflito, principalmente frente aos problemas financeiros sob os quais vivem estes países. Receber não convidados em uma casa com problemas não é uma tarefa fácil. O papa encerra a declaração com a solicitação de uma oração, frente a quase 30.000 peregrinos que estavam na Praça São Pedro, para que: "... as instituições que rejeitam os imigrantes obtenham o perdão de Deus".