A advogada Beatriz Catta Preta está se desligando de todas as ações relacionadas à Operação Lava Jato, que investiga a corrupção na Petrobras. Beatriz alega mudança do país, provavelmente para Miami, EUA, onde possui escritório desde o ano passado.

Já na segunda-feira (20), Beatriz havia apresentado petição à Justiça Federal, informando seu desligamento da defesa de Pedro Barusco, ex-gerente da estatal.

A advogada foi responsável pelas negociações dos principais acordos de delação premiada de seus clientes. Além de Pedro Barusco, ela também representava Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobrás, Augusto Mendonça Neto, executivo da empresa Toyo Setal, e o lobista Júlio Camargo.

Publicidade
Publicidade

CPI convocou a advogada a dar explicações sobre pagamentos

Há duas semanas, Beatriz obteve no Supremo Tribunal Federal (STF) o cancelamento das acareações da CPI da Petrobras com Pedro Barusco. Especula-se nos bastidores, que seria este o motivo da aprovação de sua convocação para explicar como seus clientes estão custeando suas defesas. Dois dias depois, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) enviou um ofício à CPI, pedindo reconsideração da medida. Em defesa da colega, a Associação dos Advogados de São Paulo, classificou a convocação como "espantosa ousadia autoritária".

Depois da audiência na qual disse ao juiz Sérgio Moro ter pago cinco milhões de reais em propina ao presidente da Câmara dos Deputados  Eduardo Cunha (PMDB-RJ), Júlio Camargo informou que seu novo defensor é o advogado Antônio Figueiredo Basto, que também defende o doleiro Alberto Youssef.

Publicidade

Beatriz Catta Preta, pós-graduada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), é especializada em ações sobre crimes financeiros. Defensora da delação premiada, tem em seu curriculum uma vasta experiência com  clientes como doleiros, empresários e outros alvos de investigações da Polícia Federal. Na #Lava Jato, esteve à frente de nove acordos de delação.

Criminalistas que atuam na defesa de réus que foram clientes de Beatriz, confirmam que ela está se desligando de todos os casos que conduzia no Brasil.