Nesta sexta-feira (31), a presidente Dilma Rouseff (PT) aterrissou na cidade de Maricá para a entrega de 2.932 chaves aos novos moradores do programa Minha Casa Minha Vida. No local, ela visitou uma das unidades, posou para fotos e subiu ao palanque ao lado do prefeito Washington Quaquá (#PT), o governado Luiz Fernando Pezão (PMDB) e outras autoridades municipais, estaduais e federais. O chefe do Executivo da cidade aproveitou a chance e fez duras críticas à imprensa.

Nesta semana, a presidente virou meme na internet em se enrolar em discurso sobre Pronatec.

Os apartamentos foram entregues com atraso de um ano e meio, com valor do investimento de R$ 195 milhões.

Publicidade
Publicidade

Em sua fala, Dilma ressaltou o papel do programa para a melhoria das condições de vida do povo brasileiro, considerando uma marca de seu #Governo.

"Nós estamos falando de vida melhor para todos. Cada entrega do Minha Casa, Minha Vida é a realização de um duplo sonho. Primeiro: o de cada família ter a sua casa própria. Segundo: de um Brasil mais próspero, com mais oportunidades, segurança para criar os filhos e condições de vida saudável", disse.

Já o prefeito Washington Quaquá (PT), fez um discurso comparando o governo de Dilma com os anteriores e fez duras críticas à imprensa e às Organizações Globo.

“Os nossos governos incluíram o povo na ‘festa da democracia’. Antes, o salário mínimo não alcançava nem cem dólares. Hoje, esse valor é bem acima disso. Eles (a imprensa) só gostam de democracia para as elites que tentam atacar a presidenta que faz pelo povo.

Publicidade

Presidenta, a senhora honra a tradição da esquerda brasileira”, declarou.

Homenagem

Os novos moradores dos residenciais entregues por Dilma irão viver em locais batizados com nomes de dois militantes políticos que lutaram contra a ditadura militar. O baiano Marighella foi um guerrilheiro que chegou a ser considerado o inimigo "número um" do regime ditatorial. O combatente foi morto em uma emboscada no ano de 1969, em São Paulo.

Já Carlos Alberto Soares de Freitas faleceu em 1971, tendo participado ao lado de Dilma da luta contra o governo da época.

"Vocês colocaram aqui de pessoas importantes para a história do nosso país. Eu quero agradecer ao prefeito Quaquá pela lembrança. Estar aqui toca no fundo meu coração, pois me traz a lembrança de toda a minha juventude e também das lutas democráticas e de resistência do nosso país", disse. #Dilma Rousseff