Ele ficou conhecido pelo seu jeito explosivo de apresentar. José Luiz Datena há anos comanda programas policias na #Televisão. E durante toda sua carreira jornalística brigou pelos direitos dos cidadãos, muitas vezes falando mal ao vivo de diversos políticos, de vereadores a presidentes. No entanto, Datena pode ficar do outro lado, o da cobrança. É o que afirma o jornalista Flávio Ricco do UOL. De acordo com o profissional da mídia em publicação realizada na noite desta terça-feira, 21, Datena pode investir na carreira de político e se candidatar a maior prefeitura do país, a de São Paulo, tenho a responsabilidade de conquistar, é claro, milhões de votos para se eleger.

Publicidade
Publicidade

Caso realmente José Luiz Datena não dê para trás na tentativa, ele já vai concorrer ao pleito em São Paulo no ano que vem. Segundo o UOL, o próprio Datena já admite que pode tentar a carreira de prefeito. Ele disse que sempre foi sondado, mas que só agora pensou se valeria a pena ou não, mas que qualquer decisão será em prol da sociedade. O jornalista confessou também analisar a proposta de dois partidos, os quais ele preferiu não manifestar as siglas. Datena disse que a cidade está muito ruim e que só por isso estaria pensando em aceitar o convite. O profissional se disse um homem honesto e disparou: "Não sou vagabundo e não roubo". 

Jornalista fala que fará diferente, mas revela que decisão só será dada "nos 45 minutos do segundo tempo" 

Datena também se disse diferente de muita gente que está na política.

Publicidade

O jornalista ainda disse que a decisão definitiva só acontecerá mesmo nos últimos dias para se filiar. Segundo Flávio Ricco, há um falatório de pesquisas que indicam que a população estaria querendo Datena como prefeito e mesmo quando ele não é citado os paulistanos dizem que vão votar nele. O jornalista seria um sério concorrente para Fernando Haddad e Celso Russomano, que também é apresentador de TV e já tentou a prefeitura no passado. Hoje ele é deputado federal e faz na Record a 'Patrulha do Consumidor'. #Governo #Eleições