O Presidente da Câmara e Deputado Federal reeleito em 2014, Eduardo Cunha (PMDB - RJ), fará pronunciamento em rede nacional no rádio e na televisão na próxima sexta-feira (17). A fala irá começar as 20h25 e terá duração de cinco minutos. Cunha se recusou a falar sobre o conteúdo do discurso, já gravado, quando indagado ao chegar para evento no qual será homenageado pela Sociedade Rural Brasileira, na capital paulista. Porém a expectativa é que se trate de assuntos legislativos, trazendo um balanço da casa no primeiro semestre.

O polêmico Deputado vem incomodando os mais atentos em assuntos políticos por suas últimas manobras realizadas na Câmara em que colocou em votação temas já vencidos anteriormente.

Publicidade
Publicidade

A manobra foi praticada na votação para inclusão na constituição do financiamento privado de campanha eleitoral para partidos políticos, tema claramente defendido pelo Deputado Federal, que foi derrotado pelo plenário e colocado novamente em votação no dia seguinte, fatiado em emendas com pequenas alterações, culminando em virada de resultado.

Recentemente o Deputado entrou novamente em polêmica quando retomou a votação sobre a Redução da Maioridade Penal de 18 para 16 anos para crimes hediondos, homicídio doloso e lesão corporal seguida de morte, que também havia sido derrotada na noite anterior, colocando em pauta uma "emenda aglutinativa", com algumas alterações e mais uma vez, virando o resultado.

Além das manobras realizadas no exercício da Presidência, outras razões pontadas pelos manifestantes são o envolvimento do parlamentar na campanha do ex-presidente Fernando Collor, assim como a citação de seu nome em denúncias da Operação Lava Jato.

Publicidade

Os manifestantes estão organizando os protestos pelas redes sociais e trata-se de um chamado "Barulhaço" marcado para o momento do pronunciamento. Com mais de 50.000 pessoas confirmadas, até a tarde de hoje (16), o evento promete mostrar de forma pacífica que existe uma parcela da população que se coloca contra as ações do polêmico Deputado. #Legislação #Manifestação #Reforma política