Ontem (24) os estudantes universitários que pretendiam se inscrever no programa do Governo Federal que oferece bolsas de estudos no exterior tiveram uma surpresa. O Ciências sem Fronteiras (CSF) deixou a seguinte mensagem em seu site: "Todas as chamadas estão suspensas temporariamente, não havendo prazo para lançamento de novos editais". Dessa forma, inúmeros estudantes universitários e pós-graduandos seriam prejudicados, sem receber a bolsa ou garantir a viagem sonhada para fora do Brasil.

Após um contato feito entre o jornal O Globo e a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, o Capes, o site ficou fora do ar por algum tempo e a mensagem foi retirada.

Publicidade
Publicidade

O órgão faz parte do Ministério da #Educação (MEC). No momento seguinte, o site passou a apresentar o cronograma de inscrição em bolsas. Também o texto que constava na página de graduação, que passou a conter um menu sobre as chamadas. Em maio, o MEC informou que as vagas do Ciências sem Fronteiras seriam reduzidas para atender a crise financeira que o país passa, contudo nenhuma suspensão de chamadas foi informada.

Alunos que pretendem viajar não gostaram nem um pouco da mudança repentina. Na internet, os futuros bolsistas protestaram. Pedro Castanheira quer se candidatar a um doutorado pleno em Biologia. Em entrevista para o periódico, ele falou que não entendeu o que aconteceu no site e o posicionamento do governo quanto às bolsas e a escolha dos novos bolsistas. Até o momento do ocorrido, ele dizia que ia buscar outros opções, apesar do CsF ser sua melhor chance de estudar lá fora.

Publicidade

O Capes nem desconfiava da alteração na página do programa e disse que quem coordena e administra a página é o próprio Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), que tem vínculo com o Ministério de Ciência e Tecnologia.

Já o CNPq afirma que a informação divulgada no site do CsF estava equivocada e, por isso, todas as chamadas foram, na verdade, interrompidas. Além disso, o conselho declarou que a meta de distribuir 101 mil bolsas já está fechada, impactando em um investimento de R$6,5 bilhões para os cofres públicos. Assim, de 2011 a 2015, as 101 mil vagas já foram concedidas. A próxima meta é, até 2018, disponibilizar mais cem mil. O CNPq pede que os estudantes aguardem novas convocações. #Trabalho #universidade