A "garota do tempo" do 'Jornal Nacional' parece mesmo que virou a bola da vez e todos os olhos estão mirando para ela. Depois de ser vítima de racismo, a jornalista teve o seu nome e o do seu marido, Augustinho, envolvidos com a Lava Jato, uma investigação da polícia federal que apura lavagem de dinheiro. O nome da empresa do marido de Maju seria parecido com o de outra investigada pela polícia federal e alguns blogs aproveitaram o fato para repercutir uma nota falsa. Indignada, a profissional da mídia usou as redes sociais para desmentir a informação. William Bonner também defendeu sua colega de trabalho e chamou o episódio de maldade.

Por meio de nota, a Pepper Comunicação Integrada, empresa do marido de Maju e sediada em São Paulo, disse que não tem qualquer relação com a Operação Acrônimo, um dos braços da Laja Jato e também alvo de apuração da polícia federal.

Publicidade
Publicidade

A entidade investiga os desvios de dinheiro e recursos públicos para patrocínio de campanhas políticas.  O problema é que uma outra agência de comunicação, a Peppr, sediada em Brasília, e com um nome parecidíssimo com o da empresa do marido da repórter, está sem sendo investigada.

De acordo com Maria Júlia Coutinho, as empresas não tem qualquer ligação. "Bom seria se os detratores apressados trabalhassem", disse William Bonner no Twitter ao fazer referência a fala da repórter depois de ter sido vítima de racismo e agora de uma falsa notícia mal apurada. Na última quinta-feira, 02, a página do 'Jornal Nacional' no Facebook foi alvo de uma ação orquestrada de criminosos, que fizeram comentários preconceituosos contra a "garota do tempo" do telejornal mais assistido do país.

Em um edição histórica, o programa da TV Globo deu espaço para que a profissional falasse sobre o episódio.

Publicidade

Maju negou que tivesse chorado por conta dos xingamentos racistas e lembrou que veio de uma família de militantes. "Os preconceituosos ladram, mas a Majuzinha passa", finalizou ao comentar o caso que está sendo investigado pela emissora e pelo Ministério Público.  #Entretenimento #Famosos #Televisão