As discussões a cerca da proposta de #Reforma política não param. Após passar por dois turnos, o texto já foi aprovado na Câmara, faltando apenas alguns detalhes para conclusão e envio para o senado.

Dentre as principais mudanças sugeridas para a Constituição Federal, pode se destacar, por exemplo, o fim da reeleição para cargos executivos, ou seja, presidente da República, governador e prefeito. Outro destaque é a redução da idade mínima para se candidatar aos cargos de governador e senador, que passa a ser de 29 anos.

Com relação à suplência, de acordo com a nova PEC, o deputado que se ausentar por mais de 120 dias será substituído pelo suplente melhor colocado por ordem de votação.

Publicidade
Publicidade

Há também a proposta de restrição do fundo partidário, na qual, caso seja mesmo efetivada, a prioridade dos recursos e do tempo de rádio e televisão será para os partidos que concorreram com candidatos próprios.

Algumas propostas, contudo, já foram barradas, como o fim do voto obrigatório, que colocaria em vigor o voto facultativo, como já ocorre em super potências econômicas, como os Estados Unidos, e a definição de cinco anos para o tempo de todos os cargos políticos. Outra proposta barrada foi a de financiamento exclusivamente público, liberando as empresas de continuarem destinando verbas para as campanhas. No entanto, esse é justamente o único ponto que ainda não foi definido pela Câmara, deixando para definir o assunto apenas no mês que vem.