Os principais veículos de comunicação do Brasil especulam se o ex-presidente da empreiteira OAS Léo Pinheiro, revelará a ligação do ex-presidente do país Luís Inácio #Lula da Silva com o esquema de #Corrupção na Petrobrás.

A defesa de Léo Pinheiro afirma que o executivo não tem a intenção de negociar um acordo de delação premiada e acusa a reportagem publicada pela revista Veja de "mentirosa e irresponsável". Segundo os advogados de Pinheiro, não há no momento nenhuma conversa com o Ministério Público Federal (MPF) a este respeito.

Quem é Léo Pinheiro

Léo Pinheiro é réu na Operação #Lava Jato, acusado de atuar como um dos operadores no núcleo de empresas que fraudava licitações de obras da Petrobrás, além de pagar propina para diretores da estatal, que seriam indicados pelos partidos políticos da base do governo, PT, PP e PMDB.

Publicidade
Publicidade

Pinheiro já esteve em prisão preventiva por seis meses. Em depoimento à Polícia Federal, sob acusação de formação de organização criminosa, lavagem de dinheiro e corrupção, preferiu permanecer em silêncio. O réu agora está em prisão domiciliar, monitorado por tornozeleira eletrônica.

A relação com Lula

Lula e Léo Pinheiro, mais do que pela amizade, estiveram unidos por interesses mútuos. Documentos da Operação Lava Jato mostram a relação de Lula com executivos das maiores empreiteiras brasileiras. Viajando ao exterior com o patrocínio destas empresas, Lula defendia seus interesses. Com executivos da OAS, Odebrecht, Camargo Corrêa e Andrade Gutierrez, o ex-presidente viajou ao Peru, Colômbia e Equador. Em uma destas viagens, declarou que "não se deve ter vergonha se há interesse financeiro, porque todo mundo que é empresário precisa ganhar dinheiro".

Publicidade

Mensagens de texto capturadas nos celulares de executivos da OAS, indicam que em novembro de 2013 a empreiteira deixou um avião à disposição de Lula para uma viagem ao Chile. A OAS teria ainda auxiliado na agenda do ex-presidente.

Na época, Léo Pinheiro referia-se a Lula como "o Brahma". Numa das conversas, diz que "a agenda, nem de longe produz os efeitos das anteriores do governo do Brahma, no entanto acho que ajuda a lubrificar as relações..."

Delação Premiada

Até agora não há confirmação sobre a delação premiada de Léo Pinheiro. Uma das maiores revistas do país, a Veja, afirma que sim. Caso seja condenado, o ex-executivo da OAS deverá cumprir pena de algumas dezenas de anos de reclusão, o que faz com que o acordo lhe seja favorável. Outros delatores do esquema já denunciaram doações substanciosas à campanha de Lula em 2006. Caso Léo resolva negociar o acordo, provavelmente revelará a ligação de Lula com o chamado Petrolão, confirmando o que disse o doleiro Alberto Youssef no ano passado.

Porém, os advogados de Léo Pinheiro continuam negando o acordo.