Manifestantes realizaram um protesto tentando pressionar a presidente a sancionar o projeto de reajuste entre 53 e 78% para funcionários do judiciário, aprovado pela CCJ Comissão de Constituição #Justiça e Cidadania no mês passado. O Ministério do Planejamento informou ao STJ que Dilma vetou o projeto.

Segundo o próprio ministério, o reajuste iria acarretar um impacto de 25 bilhões nas contas públicas num prazo de 4 anos. Noticia que foi recebida com indignação pelos servidores. Os servidores do Judiciário alegam que vão pressionar os parlamentares pra derrubar o veto, já que estão sem reajuste desde 2006 e o projeto foi aprovado por unanimidade pela câmara. 

Na mesma época, o líder do Governo no Senado, Delcidio Amaral (PT-MS), havia declarado que o projeto seria vetado por #Dilma Rousseff devido aos problemas financeiros nas contas públicas.

Publicidade
Publicidade

O senador chegou a apresentar um requerimento adiando a votação do projeto para que houvesse mais tempo de negociar com os servidores do judiciário, porém todos os partidos votaram contra o adiamento colocando o projeto em votação. 

Os servidores do setor já estão realizando greves e outras campanhas a mais de um mês e sindicatos afirmam ter pelo menos 80% de adesão e alguns sindicatos até propõem a realização de outros serviços durante a paralisação. 

Segundo documento enviado pelo Ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, no dia 8 de julho, ao então Ministro-Chefe da Casa Civil, Aloisio Mercadante, dizia não constar na Lei de Diretrizes Orçamentárias autorização para aprovação desse projeto e que não estaria previsto na Lei Orçamentária Anual deste ano. "A necessidade automática e obrigatória de previsão orçamentária frente à despesa autorizada e sem os requisitos constitucionais prévios, culminaria por esvaziar a própria iniciativa privativa do Poder Executivo para a propositura das leis orçamentárias". 

O período é de desgaste politico, e esse fato não era difícil de prever, uma vez que o legislativo já apontava para impossibilidade financeira de tal aumento.

Publicidade

Por mais pacífico que seja, qualquer protesto vai refletir em toda a sociedade onde cada um tem uma opinião diferente e ninguém aguenta mais tantos entraves políticos, jurídicos e burocráticos. #Greve