A edição da Revista Época desse sábado (29), divulgou considerados documentos secretos que mostram a atuação do ex-presidente e futuro candidato a eleição de 2018 como lobista. A reportagem de várias páginas demonstra com riqueza de detalhes a atuação de #Lula como lobista da empresa em Havana. Em Cuba, a empreiteira Odebrecht faturou mais de US$ 898 milhões (valor convertido de pouco mais de 3 milhões e meio de reais). Esse faturamento é correspondente a 98% dos investimentos em Cuba feitos pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES.

Dentre os documentos divulgados na Revista Época desse sábado, estão alguns telegramas do Itamaraty.

Publicidade
Publicidade

Esses documentos eram acompanhados por diplomatas, e mostravam todos os contatos de Lula em Havana, capital cubana. A reportagem acrescenta ainda que Lula se apresentava como presidente da República do Brasil para conseguir negociar com os executivos em Cuba. Detalhe é que naquela época ele já não era o presidente do Brasil.

As revelações bombásticas da revista não param por aí. A maior parte dos documentos que a revista teve acesso foram classificados como “secretos” pelo governo de Dilma, o que significa que só poderiam vir a público depois de quinze anos, a fim de que ocorresse a prescrição do crime e o Estado perdesse a oportunidade de puni-lo. A maior parte dos documentos estão sob posse do Ministério Público Federal.

Atualmente o MPF investiga as irregularidades ocorridas nos financiamentos do Banco Nacional de Financiamento Econômico e Social (BNDES) nas obras de Mariel.

Publicidade

Em sua defesa, uma nota foi emitida pelo Palácio do Planalto retificando a importância do porto de Mariel para as boas relações entre Cuba e Brasil. Também afirmou que o governo não tem conhecimento dos documentos que acusam o ex-presidente de lobista e demais materiais divulgados.

O conteúdo da matéria tem adquirido repercussão internacional, onde meios de comunicação questionam se estaria no fim a Era Lula, com a verdade vindo à tona dos brasileiros mais desavisados. Ao mesmo tempo, imprensa nacional e internacional destaca a insatisfação da maior parte dos brasileiros em relação ao governo de Dilma Rousseff, sendo que a maior parte dos insatisfeitos defendem a tese do Impeachment. Um novo protesto pela saída da presidente está marcado para 7 de setembro. #Corrupção #Investigação Criminal