O ex-presidente #Lula Inácio da Silva e seu filho, Fábio Luís Lula da Silva, abriram ações criminais contra autores de “supostas” calúnias contra eles. O prefeito de São Carlos Paulo Altomani (#PSDB), o deputado federal Domingos Sávio (PSDB-MG) e os jornalistas da revista Veja, Robson Bonin e Adriano Coelin, foram os criadores da reportagem de capa da edição de 25 de julho.

A matéria dizia que Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, estaria disposto a fazer um acordo de delação premiada com a força-tarefa da operação Lava Jato e despontar despesas de Lula e sua família pagas pela empreiteira. O empreiteiro Léo Pinheiro negou as informações no mesmo dia da publicação.

Publicidade
Publicidade

A ação movida contra o deputado do PSDB vai contra as afirmações feitas por ele em uma entrevista ao programa “Bom dia Divinópolis” de uma rádio do interior mineiro. Ele alegava em sua fala que Lulinha, filho do ex-presidente Lula, enriqueceu de maneira ilícita e é proprietário de grandes fazendas.

"A decisão de mover ação penal contra Sávio foi tomada depois que o parlamentar teve oportunidade de se retratar perante o STF, mas preferiu insistir em divulgar mentiras contra o filho de Lula", explicou o Instituto.

Lula também moveu uma queixa crime contra o prefeito de São Carlos (SP), Paulo Altomani (PSDB), por publicações em sua página no Facebook acusando de que o empresário Fábio Luiz Lula da Silva, filho do ex-presidente, é dono da Friboi. Altomani disse que “não é justo o Tesouro Nacional tirar dinheiro de nossa cidade para repassar ao BNDES para financiar, por exemplo, a empresa Friboi, que pertence ao Lulinha, e que paga cachês milionários para o ator Tony Ramos vender em rede nacional sua carne financiada com recursos de saúde, educação, limpeza publica, etc.”

Veja tem mais problemas

Segundo uma reportagem publicada pela revista “Veja”, o ex-jogador e senador Romário (PSB-RJ), teria uma conta aberta no banco suíço BSI, com sede em Lugano, no valor de 2,1 milhões de francos suíços, o equivalente a 7,5 milhões de reais.

Publicidade

O ex-jogador “investigou” a denúncia e provou que a “pequena fortuna” não era verdadeira.

Nesta ultima quinta-feira (6/8), ele, que foi vítima de calúnia, prometeu processar a revista em 75 milhões de reais por danos morais.