Luiz Inácio Lula da Silva está evitando ao máximo vincular sua imagem à da presidente da república, Dilma Rousseff. O ex-líder do governo teria sido sondado por líderes do Partido dos Trabalhadores, o PT, para ocupar um lugar especial no Palácio do Planalto. Lula teria recusado ser ministro do governo Dilma. O principal motivo é a rejeição de Rousseff. Pesquisas feitas pelo PT garantem que a rejeição da presidente ainda não reverbera em Lula, o que é considerado muito positivo por ele. Aceitar o cargo, que exige alta responsabilidade e também visibilidade, seria um tiro no pé para Lula, que quer tentar as eleições de 2018.

O PT e a própria Dilma insistem para Lula aceitar o cargo, mas ele tem sido firme em sua decisão.

Publicidade
Publicidade

O ex-presidente afirma que o melhor é tê-lo no meio de campo, indo em muitas cidades brasileiras para fazer o que ele chama de "discurso pela democracia". O ministério oferecido a Lula é o das Relações Exteriores. A escolha se deve ao fato do político ser muito bem visto e respeitado internacionalmente. Quando esteve no poder, por oito anos, Lula viajou por vários países, sendo motivo de piada e de reclamação pela sua atitude. Na época, foi criado até o termo "aerolula".

Caso o Ministério das Relações Exteriores não estivesse ao bom gosto de Lula, o Ministério da Casa Civil ou da Defesa. Mas nenhuma dessas possibilidades teria agradado o ex-presidente. Segundo uma reportagem do Estadão publicada neste sábado, 08, o Partido dos Trabalhadores teria ficado descontente com a atitude do político e alguns filiados estão achando que Lula está fugindo da própria legenda, que sempre defendeu.

Publicidade

Saiu na imprensa esta semana que Luiz Inácio Lula da Silva teria dito durante uma reunião com integrantes do PT que o partido não sairia imune depois da crise. O ex-presidente, no entanto, negou que tenha dito isso. Na última quinta-feira, 06, durante o pronunciamento do Partido dos Trabalhadores, Lula defendeu o governo e lembrou que o país passou por diversos outros problemas políticos e financeiros. #Entretenimento #Famosos #Televisão