Hoje, dia 3 de agosto, o dia começou amargo para o jornalista do site Brasil 247. É que Leonardo Attuch, que edita o portal foi acusado de receber, pelo menos, R$ 120 mil do esquema de #Corrupção da Petrobras, chamado pela Polícia Federal de Operação Lava-Jato. O pagamento teria sido feito por João Vaccari, segundo um dos delatores do esquema, Milton Pascowitch. As informações foram colhidas do portal O Globo.

O pagamentos em a prestação de qualquer serviço foi feito para que o jornalista promovesse uma campanha positiva para "dar legalidade ao apoio que o Partido dos Trabalhadores dava ao blog de Attuch". O profissional de comunicação social recebeu o dinheiro entre setembro e outubro de 2014.

Publicidade
Publicidade

Na denúncia, Pascowitch deixou claro que ele repassou, por meio de sua empresa de consultoria, a Jamp, a quantida pedida por Attuch. O valor foi encaminhado a Consist Soft destinado ao PT, através de João Vaccari. Foram R$ 15 milhões usados em contrados de consultorias firmados entre a Jamp e a Consist. A operação foi feita por meio de contatos com a Consist, realizados por Pablo Alejandro Kipersmit, o presidente da organização, e com Valter Silverio Pereira. Ele era o diretor jurídico da empresa.

O juiz que está com o processo em mãos, Sérgio Moro, decidiu que José Dirceu fosse preso nos últimos dias e declarou que "os repasses de cerca de R$ 12 milhões foram feitos em espécie". Ou seja, uma parte dessa quantia teria sido direcionada a pedido de João Vaccari para a Editora 247, por meio de uma simulação de prestação de trabalho.

Publicidade

O delator Pascowitch declarou durante o processo que tem provas da troca de emails entre Attuch e José Adolfo, seu irmão. Nas mensagens, foram exibidos os pagamentos e notas fiscais pagas à Editora 247. Um deles, datam 12 de setembro de 2014 com o objetivo de "produzir material jornalístico e de estudos especiais na área de infraestrutura, para publicação no eletrônico".

Foi encaminhado um pedido de resposta às denúncias para o portal de notícias. Porém, até o momento, nenhuma resposta foi dada. #Petrobras #Lava Jato