Apontado como sendo um dos únicos políticos da base aliada moderado, Renan Calheiros é o novo queridinho da Presidente #Dilma Rousseff. O peemedebista ocupa a Presidência do Senado e, sendo aliado de Dilma, pode barrar todo e qualquer pedido de impeachment contra a presidente. Para além do trabalho de fiel escudeiro da petista, Renan apresentou 27 propostas que podem, segundo ele, tirar o Brasil da grave crise política, econômica e social em que se encontra atualmente.

O Palácio do Planalto vê com bons olhos a pauta de sugestões e reivindicações feita por Renan Calheiros, já que o que o #Governo mais precisa atualmente é de uma direção e um rumo que o tirem do desequilíbrio político em que se encontra.

Publicidade
Publicidade

A intenção do governo é criar uma agenda positiva, uma onda de boas ações e realizações que façam com que o país volte a crescer e a confiança nos investidores traga mais estabilidade e investimentos para o Brasil.

Envolvido na Operação Lava-Jato, Renan Calheiros estava distante do governo desde março, mas agora torna-se protagonista novamente em Brasília/DF. Dilma vem sendo orientada pelo PT e pelo ex-presidente Lula a dizer aos brasileiros o que virá depois do ajuste fiscal, sendo assim mais fácil que sua popularidade aumente. O momento para a presidente Dilma é de reconciliação com seus aliados políticos. Um jantar no Palácio do Planalto com 43 senadores e 21 ministros ontem (10), foi cheio de boas intenções por parte de Dilma. Apesar da ausência de Renan Calheiros, que teve um encontro reservado com Dilma na última quinta-feira, o jantar foi excelente e o encontro foi avaliado positivamente por partidários do PT e líderes do governo. 

Medidas

Dentre as várias medidas sugeridas por Renan Calheiros, a que mais agradou o Palácio do Planalto foi a de desoneração das folhas de pagamento das empresas e da política de preservação de emprego.

Publicidade

Outras medidas que também agradaram Dilma Rousseff e sua equipe foram a de um novo tipo de financiamento para o SUS (Sistema Único de Saúde) e a realização de uma reforma tributária que envolveria PIS/Cofins e a cobrança do ICMS.

Leia mais notícias sobre política e economia

Inflação em 2015 será a maior em 13 anos no Brasil.

Lucro na Petrobras cai 90%.

Fabrica da Mercedes-Benz em São Bernardo do Campo/SP dá férias coletivas para funcionários. #Crise econômica