A partir da próxima terça-feira, primeiro de setembro, o PMDB lança uma nova campanha publicitária que manda diversas indiretas para o #Governo de #Dilma Rousseff. O partido que até então era aliado do governo, tendo como vice presidente Michel Temer, agora pede nas inserções comerciais de 30 segundos na TV que o Brasil precisa e quer uma mudança. O próprio Temer fala que é necessário que as verdades sejam descobertas no mesmo vídeo. Ao todo, são oito filmes que serão exibidos na programação de todas as emissoras abertas do país. O tom começa a parecer que é de ataque e não apaziguação.

O vice presidente também fala em outro filme que o Brasil é uma grande nação e que o país sempre será mais forte e maior do que qualquer governo.

Publicidade
Publicidade

A fala aparece em um momento em que Michel Temer se afasta cada vez mais de Dilma. O próprio já disse que não vai mais fazer o papel de articulação entre Rousseff e os demais parlamentares e legendas. O PMDB deixa cada vez mais claro de que não quer mais papo com o Partido dos Trabalhadores, o PT, seguindo a partir de agora um voo solo, o que pode ser benéfico para o partido no futuro. A legenda já disse que pretende no futuro lançar candidato próprio, não se aliando nem ao PT, tão pouco ao PSDB.

Os vídeos foram criados pelo publicitário Eusinho Mouco. Em entrevista ao jornal Folha de São Paulo publicada neste domingo, 30, o publicitário disse que o principal objetivo dos vídeos é conseguir mostrar que o PMDB é um partido do diálogo, sendo muito necessário nesse momento complicado da gestão de Dilma Rousseff. 

A presidente da república vive seu índice recorde de rejeição.

Publicidade

Cerca de 71% dos eleitores creditam como ruim ou péssima a gestão da presidente. Enquanto Dilma vive uma péssima avaliação, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva faz discursos em todo o país dizendo que pode sim voltar a concorrer ao pleito. O ex-operário diz que pode sim ser candidato, apenas para não deixar a oposição "vencer", chegando assim ao poder. No entanto, Lula diz que espera que existam outros nomes fortes, além do dele.