Passou um pouco despercebido na quarta-feira, 2 de setembro, em face da movimentação política em Brasília, com a coletiva da Presidente Dilma, e entre outros fatos relevantes a CPI da Petrobras que fez a acareação em Curitiba e a Ata do Copom que foi divulgada depois do fechamento dos mercados.

Mas a CPI do BNDES aprovou o requerimento para ter acesso aos documentos da investigação do MPF (Ministério Público Federal) contra o ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva por suposto tráfico de influência na liberação de recursos pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico Social), para financiar a construção do Porto de Mariel em Cuba.

Publicidade
Publicidade

Obra esta que teve participação da Construtora Odebrecht, que é investigada na Operação Lava-Jato.

Entre os documentos aos quais terá acesso a CPI estão incluídos toda a correspondência diplomática dos embaixadores brasileiros em países africanos, do período 2003 a 2015, e o Ministério das Relações Exteriores, que por ventura tenham tratado de algum tipo de financiamento realizados pelo BNDES e mais todos os que tenham sido feitos pelo BNDES a empresas citadas na Operação Lava-Jato. Entre elas estão as maiores empresas do setor no país como UTC, Andrade Gutierrez, Camargo Corrêa, Odebrecht e Mendes Júnior entre outras.

Por insistência do PT aprovou-se um requerimento para que o BNDES forneça as informações de quaisquer financiamentos concedidos para obras Estaduais e Municipais que tenham como participantes empresas que tenham sido citadas na Lava-Jato.

Publicidade

A oposição vê nisto uma estratégia para tentar envolver governos que não sejam da base aliada e criar um mal-estar que divida a opinião pública.

CPI do BNDES

Com pouco menos de um mês desde que foi instituída a CPI do BNDES não progrediu muito, até o momento ouviu-se o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, e alguns diretores. Todos negaram as denúncias de ingerência do ex-presidente Lula na liberação de recursos ou financiamentos de projetos no Brasil ou no exterior.

Marcos Rotta (PMDB-AM) presidente da CPI foi indicado pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha, o PT disputou a relatoria, mas ficou com a segunda-vice-presidência, a relatoria, com José Rocha (PR-BA) também governista, a primeira vice-presidência é de Miguel Haddad (PSDB-SP).

A comissão é composta por 27 membros titulares e foi criada por requerimento apresentado pelo deputado Rubens Bueno (PPS-PR).

O relator da CPI, o governista José Rocha (PR-BA), já havia anunciado ao início dos trabalhos que: “Não vejo nenhum sentido de você, neste momento, convidar pessoas como o ex-presidente (Lula).

Publicidade

Agora, no decorrer das investigações, se houver necessidade, um fato que determine isso, aí não tenha dúvida que a gente pode analisar essa convocação.”

O fato da CPI ter aprovado hoje o requerimento para ter acesso aos documentos da investigação do MPF (Ministério Público Federal) contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é muito relevante e merece destaque.

Convocação de Lula

Exatamente porque CPI do BNDES tem na agenda imediata para a apreciação, 10 requerimentos de convocação para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e para seu filho Fábio Luiz. Analistas consideram inevitável, o que põe o PT em pânico é que existem também pedidos para quebra de sigilo fiscal de ambos. Avalia-se que na atual conjuntura isto irá piorar e muito a #Crise de governabilidade do Palácio do Planalto e tornar ainda mais debilitada a já frágil situação do #Governo Dilma.

Já foram convocados o ex-ministro Guido Mantega, e o ex-presidente do banco Carlos Lessa, Luciano Coutinho atual presidente e a diretoria de comercio exterior já foram ouvidos.