Após o anúncio das medidas de ajuste fiscal, a presidente #Dilma Rousseff convidou as lideranças políticas, ministros e  parlamentares que compõem a base aliada para um encontro no Palácio do Planalto.O encontro ocorreu ontem, dia 16, em Brasília. A intenção da presidente foi pedir o apoio e a cooperação dos políticos para que unissem forças em torno da aprovação das medidas econômicas, a fim de recuperar a economia brasileira.

Dilma terá pela frente várias resistências, que terão que ser vencidas, inclusive na sua base aliada, para que haja sucesso nas ações a serem desenvolvidas. A reação veio de todos os lados.Eduardo Cunha, já declarou que o volta da CPMF é uma manobra que não se pode tolerar.

Publicidade
Publicidade

Segundo o mesmo, o impacto sobre a economia será negativo, não somente na inflação, mas haverá uma influência sobre toda a cadeia produtiva.

O presidente do senado Renan Calheiros, já foi um pouco mais ponderado em relação ao seu posicionamento em relação ao pacote fiscal. Segundo o senador alagoano, seria preciso esperar um pouco mais, até que as medidas cheguem ao congresso para serem votadas. De acordo com Renan Calheiros, é preciso esperar as medidas econômicas " assentarem" para que possa ser avaliado o que poderá ser votado pelo congresso.

Os deputados colocaram em discussão,a demora do #Governo em distribuir os cargos no segundo e terceiro escalão do governo. Eles também se mostram profundamente insatisfeitos, pela vinculação dos recursos do PAC  às emendas parlamentares, já aprovadas para o orçamento do governo.

Publicidade

Em entrevista ao jornal O Povo , o líder da bancada do PMDB, Leonardo Picciani, afirmou que é muito difícil que os parlamentares deixem de beneficiar seus redutos eleitorais, em detrimento das obras do programa de aceleração do crescimento do governo.  

Como contraponto ao que prega o governo, os líderes políticos apresentaram a proposta de renegociação das dívidas vultosas que o governo tem a receber e que poderiam ajudar a compor o caixa do governo. Foi o que propôs o deputado Jovair Antunes, líder do PTB de Goiás.

Alguns parlamentares não aceitam a declaração do ministro da Fazenda de que, o Brasil perdeu o selo de bom pagador por culpa do Congresso. Foi o que protestou o deputado Rogério Fosso, líder da bancada do PSD, no Distrito Federal. Os líderes do governo desempenham bem o seu papel, ao defender o governo e sua medidas. É o caso do deputado José Guimarães, do PT, lider do governo na câmara. Para ele, a CPMF é um imposto justo, pois quem ganha mais, vai pagar mais imposto. #Crise