A greve dos servidores do INSS completou mais de 60 dias de paralisação e atinge, em cheio, grande parte da população que precisa ser atendida nos postos do órgão. Estima-se que, segundo dados publicados pelo pelo site de notícias G1, aproximadamente 10 milhões de pessoas deixaram de ser atendidas nos dias de paralisação da categoria. Segundo  o mesmo, a #Greve já atinge praticamente todo os estados.

Segundo uma determinação da justiça, 60% dos funcionários devem continuar nas suas atividades normais de trabalho, para que a população não seja de todo prejudicada. Mas ainda assim, fica muito difícil agendar atendimento nos postos do INSS no Rio de Janeiro, por exemplo.

Publicidade
Publicidade

Mesmo que o atendimento seja agendado previamente, por telefone. A dificuldade se estende também para quem tem em mãos uma ordem judicial.

O comando de greve informa que as negociações ainda não avançaram, como seria o esperado. A última reunião feita com a categoria e o ministério do Planejamento foi realizada no dia 08. O ministério manteve a proposta de manter os reajustes dos benefícios atrelados `a inflação do período em que ficaram congelados. A proposta do governo é de reajuste de 10,8%, a ser concedido em um período de dois anos. Ainda pela proposta do ministério, seriam concedidos um reajuste de 5,5% para o ano de 2016 e outro reajuste de 5% para o ano de 2017. A mesma não foi aceita. Os servidores reivindicam um reajuste salarial de 27,6%, a ser concedido de forma integral.

Em informação divulgada pela Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social (FENASPS), uma nova reunião foi marcada para segunda-feira, dia 14.

Publicidade

Os representantes dos servidores do órgão querem sentar-se novamente à mesa de negociações com o governo. Se almeja a elaboração de um  acordo, com relação aos interesses defendidos e assim, possam pôr fim à greve da categoria.

José Campos, representante da FENASPS, declarou que, todas as exigências estipuladas pela Justiça para o atendimento parcial dos segurados estão sendo cumpridas. Ele afirma que a  greve tem um caráter justo. Em declaração feita no site de noticias EBC, Campos defende que, a classe dos servidores da ativa do INSS procura a melhoria do atendimento junto à população que procura o órgão. Para isto, os funcionários lutam por melhorias nas condições de trabalho e a realização de concurso público para o preenchimento de vagas ociosas de funcionários que estão se aposentando. #Crime #Recessão no Brasil