Na edição desta terça-feira, 08, o 'Jornal Nacional' exibiu uma nota sobre uma ação penal contra o deputado Paulo Pereira da Silva, do Solidariedade de São Paulo. Sem exibir fotos do deputado, a Rede Globo de Televisão foi acusada de esconder o político, que não é conhecido pelo seu nome civil, mas apenas como 'Paulinho da Força'. O fato causou ainda mais estranheza por até então o telejornal apresentado por William Bonner e Renata Vasconcellos costumeiramente apenas chamar o deputado por seu apelido. Nas redes sociais, muitos internautas ficaram revoltados e viram a atitude da Globo como uma manobra de proteger o político. 

"A Globo esconde esse deputado apoiador do PT com o objetivo de não prejudicar ainda mais a Dilma.

Publicidade
Publicidade

Todo mundo sabe que ele e o Partido dos Trabalhadores são unha e carne", disse um dos internautas. Paulinho da Força está sendo investigado depois que o Supremo Tribunal Federal, o STF, decidiu abrir uma denúncia de ação penal contra o político. Ele agora virou réu e será julgado pelo próprio STF. O Supremo Tribunal Federal aceitou a a abertura de processo após uma denúncia do Ministério Público Federal. De acordo com o órgão, Paulinho da Força cometeu #Crime contra o sistema financeiro, formação de quadrilha e também lavagem de dinheiro. 

Os advogados do deputado do Solidariedade de São Paulo negam as acusações e dizem que Paulinho da Força foi vítima das circunstâncias, tendo sofrido tráfico de influência por meio de um grupo criminoso. Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Teori Zavascki, ministros do STF, entretanto, disseram que existem sim indícios que o político tenha cometido os crimes, mas que as provas só serão apuradas ao longo do crime, não podendo assim já dizer que Paulinho da Força já seja culpado. 

Na denúncia do Ministério Público Federal, Paulinho é colocado como um dos beneficiários de desvios do BNDES, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, além da verba que ia para a Prefeitura de Praia Grande, localizada no litoral de São Paulo.  #Corrupção