O Ministério Público da Suíça anunciou que abriu investigações para apurar crime de lavagem de dinheiro, relacionado ao esquema de #Corrupção na Petrobrás. Cerca de 400 milhões de dólares foram bloqueados em contas bancárias daquele país. Segundo o procurador-geral da Suíça Michael Lauber, os processos são contra Fernando Falcão Soares, mais conhecido como Fernando Baiano, e João Augusto Henriques. Ambos são suspeitos de terem atuado como operadores de propina para o PMDB.

Estas investigações foram impulsionadas pelo depoimento do delator da #Lava Jato Eduardo Musa, que foi gerente da área internacional da Petrobras. As contas de Musa já estão bloqueadas e a investigação busca saber de onde veio, e para onde foi, o dinheiro que estava depositado.

Publicidade
Publicidade

Musa, que fez acordo de delação premiada, revelou que chegou a possuir 2,5 milhões de dólares no banco Cramer. Falou também que utilizou os bancos Credit Suisse e o Julius Bär. Citando o presidente da Câmara, o novo delator da Lava Jato disse ter ouvido falar que Eduardo Cunha era quem dava a palavra final nas indicações para a Diretoria Internacional da Petrobrás. Ainda segundo o depoimento de Musa, João Augusto Henriques seria o lobista do PMDB.

O deputado Eduardo Cunha (PMDB/RJ), havia sido denunciado por Fernando Baiano (preso em 2014 e condenado por corrupção e lavagem de dinheiro). De acordo com Baiano, ele e Nestor Cerveró, à época diretor internacional da estatal, teriam cobrado propina de 40 milhões de dólares na compra de dois navios-sonda, em 2006 e 2007. Deste valor, 5 milhões teriam sido entregues a Cunha.

Publicidade

O presidente da Câmara nega as acusações.

Fernando Baiano foi além. Em seu depoimento à Lava Jato, disse ter participado, em 2010, de reunião para tratar de uma doação ilícita de 2 milhões de reais para a campanha da Presidente Dilma. A reunião teria acontecido com a presença de Antonio Palocci, ex-ministro e então coordenador geral da campanha, e Paulo Roberto Costa, que era diretor da Petrobras.

O porta-voz do Ministério Público Suíço Andre Marty, confirmou que as investigações estão em andamento e que foram bloqueados aproximadamente 400 milhões de dólares, incluindo as contas de Eduardo Musa.

Há suspeitas de ligações entre Musa e a Odebrecht, uma das empreiteiras investigadas no esquema de corrupção da Petrobras.