A luta dos servidores do poder judiciário federal pelo reajuste salarial da categoria ganha contornos de tragédia em Brasília. Na madrugada deste domingo (06/09) morreu no Hospital São Francisco, na cidade satélite de Ceilândia, o servidor da #Justiça Federal do Paraná Élcio Berer Kozminski. Ele sofreu um infarto.

Élcio trabalhava no prédio do Ahú, sede da Justiça Federal em Curitiba. Ele acompanhou a delegação do Paraná para Brasília nesta última semana, e participou ativamente do ato e da mobilização pela derrubada do veto presidencial 26/2015 ao PLC 28/2015.

Élcio passou as últimas horas de vida lutando por um ideal

Considerado por amigos como sendo um guerreiro e um lutador, estava em greve a mais de 100 dias e nos últimos meses, Élcio participou de vários atos e mobilizações em Curitiba e em Brasília pelo reajuste salarial da categoria.

Publicidade
Publicidade

Em relato de amigos, nesta última semana, Élcio disse que só sairia do Congresso Nacional após a derrubada do veto.

No dia 02/09 (quarta-feira), fustigado pelo sol e pelo forte calor, após passar o dia todo no gramado em frente ao Congresso Nacional, durante as manifestações pela derrubada do veto ao PLC 28/2015 em Brasília, junto com os mais de dez mil servidores, acompanhou a manobra do governo para impedir a votação do veto presidencial. Élcio não resistiu e sofreu um infarto do miocárdio.

Hospitais de Brasília recusaram internação

Élcio foi socorrido, e começou uma peregrinação por sua internação nos hospitais de Brasília. Uma daquelas eternas peregrinações que o nosso caótico #sistema de saúde nos impõe em busca de hospital que aceite o convênio particular de plano de saúde.

Por mais que se tratasse de uma vida humana, que corria risco de morte, nenhuma porta se abriu para Élcio em Brasília, ele foi recebido apenas no Hospital São Francisco, na cidade satélite de Ceilândia, onde na manhã de quinta-feira (03/09) foi submetido a uma angioplastia para desobstrução de artérias.

Publicidade

Élcio permaneceu internado até esta madrugada (06/09), devido à demora de atendimento e tantas mudanças de hospitais, não resistiu e faleceu.

Morte gera tristeza, solidariedade e indignação

As circunstâncias da morte do servidor Elcio Berer Kozminski geraram sentimentos de tristeza, solidariedade e indignação. Assim que foi confirmada a morte do servidor Elcio Kozminski, em vários grupos do Facebook, blogs e sites de sindicatos começaram a surgir notas de pesar e postagens com mensagens de solidariedade de seus colegas.

Integrantes da família demonstraram indignação pela demora no atendimento e as constantes mudanças de hospitais pela não aceitação do plano de saúde do servidor.

Campanhas para auxílio da família

A remoção do corpo deve ser feita em aeronave particular, e segundo informações gira em torno de 20 mil reais. Diversos sindicatos informaram que farão campanhas de doação para auxiliar a família.

Miguel Sandor Szollosi, coordenador do Sinjutra – Sindicato dos Servidores da Justiça do Trabalho do Paraná lamentou a morte de Élcio e informou em seu perfil no Facebook que o sindicato fará uma campanha de doações e repassará a família para auxílio neste momento de dor.

Publicidade

Até o momento não há notícias sobre o sepultamento.

Apelo aos Senadores pela derrubada do veto

A página de Élcio no Facebook é uma demonstração de quanto ele estava engajado na luta pela derrubada do veto presidencial ao PLC 28. Élcio encaminhava mensagens diariamente aos parlamentares. Uma das últimas postagens foi direcionada ao Senador Delcidio do Amaral: “Nobre Senador, Rogo que seu posicionamento sobre o reajuste dos Servidores do Judiciário Federal seja repensado”. “Seu senso de justiça há de fazê-lo mudar de opinião”. “O governo Dilma passará. Não perca a oportunidade de inscrever positivamente o seu nome na história, contribuindo para reparar uma grande injustiça contra uma importante e trabalhadora categoria”. #Manifestação