Por 6 votos a 1, o Tribunal Superior Eleitoral divulgou em seu portal que deferiu o pedido para o registro do Partido NOVO nesta terça, 15, e oficialmente o país tem mais um partido político, o 33º já criado.

Em vídeo publicado nas redes sociais, o Presidente Nacional do Partido, João Dionisio Amoêdo, ressaltou que o momento é de comemoração e muito trabalho pela frente para compor a estrutura do partido para concorrer nas próximas eleições.

De acordo com o publicado no site do partido, o NOVO foi fundado em 12 de fevereiro de 2011 por 181 cidadãos de 35 profissões diferentes e oriundos de dez estados da Federação. Durante esse período, executaram um amplo trabalho de divulgação para cumprir as exigências legais para o registro do partido.

Publicidade
Publicidade

Também é exposto no site que o partido define que seus valores são as liberdades individuais com responsabilidade, o indivíduo como gerador de riquezas, que todos são iguais perante a lei, defende o livre mercado, se posiciona como o indivíduo como agente de mudanças e uma visão de longo prazo. Atualmente o partido divulga notas e discurso contrário ao governo Dilma. 

PARTIDO REDE SUSTENTABILIDADE DE #Marina Silva TENTA OFICIALIZAR SUA EXISTÊNCIA

O Partido REDE da ex-senadora Marina Silva também tenta obter sua legenda partidária para entrar como protagonista no páreo das eleições em 2016. Após realizar campanha nas redes sociais e mobilizar seus militantes para coleta de assinaturas em redutos por todo o Brasil, a coordenação obteve cerca de 50 mil assinaturas que faltavam para obter uma nova tentativa de conseguir se tornar um partido.

Publicidade

 Em 2013, a REDE tentou obter a sua oficialização no TSE, mas segundo o tribunal, o partido não apresentou o número de assinaturas suficiente para obter o registro. Na época, para concorrer como presidente, Marina se filiou então ao PSB, do falecido governador pernambucano Eduardo Campos, que cedeu a preferência do partido a ex-senadora e saiu como vice dela.

OUTRO PARTIDO É CRIADO POR EX-MEMBROS DA REDE

Outro partido busca a construção de uma legenda para entrar na política brasileira. O futuro partido chamado RAIZ MOVIMENTO CIDADANISTA nasceu em 2015 após desentendimento entre os coordenadores da REDE e posicionamento polêmico de Marina Silva.

Nas eleições 2014, os atuais coordenadores da RAIZ se afastaram da REDE após Marina Silva que foi derrotada no primeiro turno, lançar publicamente seu apoio ao então candidato a presidente Aécio Neves (PSDB) no segundo turno. Não concordando com o alinhamento político da senadora e defendendo a autonomia de não apoiar nenhum candidato nas eleições presidenciais, o membros da antiga sigla decidiram criar seu próprio partido.

Publicidade

Segundo o site do partido, seus princípios são baseados no UBUNTU (conceito africano de igualdade entre as pessoas), TEKO PORÃ (palavra em tupi guarani que destaca o aprendizado em harmonia com a natureza), ECOSSOCIALISMO (reflexão crítica que resulta da convergência entre reflexão ecológica, reflexão socialista e reflexão marxista) e CONSENSO PROGRESSIVO (decisão em grupo e consenso pelo melhor). O partido conta com o apoio da Deputada Federal Luiza Erundina, do PSB.

A Raiz é orquestrada pelo escritor e historiador Célio Turino, antigo membro da Rede e ex-Secretário Nacional de Cultura no governo Lula. Célio foi idealizador dos Pontos de Cultura, projeto que foi copiado em vários países da América Latina. #Dilma Rousseff #Aécio Neves