O PSDB divulgou na noite desta segunda-feira, 28, uma propaganda partidária fortemente contrária à presidente da república Dilma Rousseff. Assim como ocorrem nas propagandas eleitorais, os mais importantes líderes do partido foram chamados para opinar contra o governo federal. Notícias de que Dilma pode ser condenada pelo Tribunal de Contas da União por mau uso do dinheiro público apareceram em artes e entrevistas de Rousseff sendo contraditória também foram exibidas. 

O programa partidário começou com atores usando máscaras com o rosto de Dilma. Eles lembraram ações que a presidente prometeu durante a campanha, mas não cumpriu.

Publicidade
Publicidade

Eleitores da camada mais pobre da sociedade também foram entrevistados. Eles disseram estar com contas atrasadas, com dificuldade para comprar alimentos e também para encontrar emprego. 

Já no fim da publicidade, outro ator falou de um tema muito abordado nessa crise política, o golpe. Ele argumenta que o golpe teria sido dado quando Dilma fez promessas e agora simplesmente não está conseguindo efetuá-las. 

A figura do #PSDB que mais apareceu no comercial partidário foi o senador por Minas Gerais, Aécio Neves. Eles fez questão de dizer que o PSDB só irá ser contra ações que prejudicariam o povo brasileiro, como a volta do imposto da CPMF. Em seguida, vídeos de Dilma criticando o imposto foram exibidos. Segundo Aécio, se o governo quiser baixar impostos, o partido será o primeiro a dar sim para a proposta.

Publicidade

Nas próximas semanas, o Tribunal de Contas da União deve dar o parecer definitivo sobre as contas do governo. Enquanto isso, alguns setores essenciais para o país, como a economia, mostram dados alarmantes. Segundo a nova previsão de analistas, o Produto Interno Bruto brasileiro pode fechar em queda de até 3% esse ano. O desemprego continua subindo, mesmo agora no fim do ano, quando as empresas costumam contratar funcionários temporários. Dilma tem rejeição de 71% dos brasileiros, enquanto apenas 7% dizem ser a favor de seu governo, creditando a gestão da líder política como boa ou ótima. 

#Dilma Rousseff