Nesse sábado, 19 de setembro, o Brasil recebeu a notícia de que o Partido dos Trabalhadores não descarta mais uma renúncia de #Dilma Rousseff. As informações são da consolidada colunista Mônica Bergamo, da Folha de São Paulo.

Segundo a colunista, vários dirigentes de renome, bem como ex-líderes ligados ao ex-presidente Lula, acreditam que a renúncia de Dilma pode se tornar uma realidade em caso de ingovernabilidade do Brasil, a começar por um possível fracasso do atual pacote fiscal que o governo pretende adotar para tentar diminuir gastos e conter a crise econômica nacional, que é uma das piores dos últimos anos.

Essa semana, o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, recebeu um novo pedido de Impeachment da presidente da República.

Publicidade
Publicidade

Caso esse ou outro pedido de Impeachment seja colocado em votação e o STF (Superior Tribunal Federal) venha a barrar o processo, a situação política e econômica ficaria ainda pior para a presidente, o que a levaria a renunciar seu mandato.

A presidente Dilma, por sua vez, já declarou mais de uma vez que de forma alguma irá renunciar ao seu posto de presidente da república. Dilma Rousseff tem três semanas para acertar suas cartas e provar que pode vencer esse jogo pela reorganização econômica nacional, a fim de se tornar de fato a melhor alternativa para a presidência até 2018, mantendo a base aliada estável e evitando novos conflitos significativos contra o seu governo.

Insatisfação popular

Desde que assumiu seu segundo mandato, a presidente Dilma Rousseff tem sofrido rejeição tanto da maior parte da população, quanto de parlamentares.

Publicidade

Cada vez mais políticos e partidos que outrora eram aliados do PT, mudam suas respectivas posturas diante do governo federal.

Nas ruas, diversas manifestações já ocorreram pedindo o Impeachment de Dilma e a investigação tanto da presidente, quanto de Lula na operação Lava Jato. Recentemente, um boneco inflável de Lula vestido de presidiário foi colocado na Ponte Estaiada, em São Paulo, gerando repercussão internacional.

Muitos que apoiavam o governo demonstraram indignação nesse ano com os cortes nas bolsas do FIES e suspensão de concursos públicos federais por tempo indeterminado, ou seja, para o momento em que o Brasil não estiver passando por nenhuma #Crise econômica. #Crise no Brasil