O G1 publicou discurso da presidente #Dilma Rousseff defendendo o ajuste fiscal. Na mesma data, outra equipe do mesmo portal publicou levantamento sobre os gastos com cafezinho na presidência, ministérios e anexos.

A presidente Dilma, no início de outubro, ao participar de cerimônia de entrega de 1.476 novas moradias do programa Minha Casa Minha Vida em Barreiras, na Bahia, discursou defendendo o ajuste fiscal do governo federal, afirmando que "Estamos reduzindo as nossas despesas mas nós não reduzimos e não paramos aquilo que consideramos importante para o brasileiro".

Ela afirmou que um governo comprometido com a população não pode "jogar dinheiro pela janela",  mas ao cuidar das finanças, não deve esquecer de "fazer mais para aqueles que mais precisam".

Publicidade
Publicidade

As medidas adotadas para cortar despesas ainda estão longe de atingir alguma eficácia. Apesar do discurso em defesa do aperto financeiro, a presidência já reservou verba para, até o final de 2016, gastar um total de R$ 81,4 milhões em, pelo menos, 33 contratos vigentes, sendo que, desse total, 21 já foram renovados.

Esses contratos contemplam a oferta de cafezinho para atender as sedes e anexos dos ministérios e da presidência em Brasília. O levantamento feito pela equipe da RBS não contabilizou o gasto das autarquias, agências e congêneres.

O gasto com esse serviço ultrapassa o orçamento de algumas secretarias e ministérios, por exemplo, a extinta Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência, que tinha uma previsão orçamentária de R$ 51 milhões, valor que é cerca de 38% menor do que o gasto com os contratos de copa para servir café.

Publicidade

Segundo Gil Castello Branco, secretário-geral da ONG Contas Abertas, organização especializada em acompanhar os gastos públicos, essas despesas são um exemplo do "mau uso" do dinheiro público. Ainda segundo Castello Branco, em um momento tão difícil para o país, é inadmissível manter um gasto supérfluo e exorbitante, pois o contribuinte não é obrigado a pagar o trabalho de copeiros para servir cafezinho para burocratas. #Crise econômica #Blasting News Brasil