Em assembleia hoje, dia 26 de outubro, os bancários confirmaram o fim da greve dos bancos. A decisão foi tomada pelos bancários de 23 Estados e do Distrito Federal. Todos estavam reunidos em assembleias específicas nos seus Estados. Os bancários que votaram pelo fim da #Greve, acataram o reajuste de 10% sobre o salário. O mesmo incidirá sobre os benefícios que cada funcionário tem direito e sobre a participação na distribuição dos lucros.

A proposta aceita também um reajuste de 14% sobre o vale-alimentação e vale-refeição recebidos pelos bancários. Em alguns Estados, os funcionários dos bancos públicos decidiram continuar a greve.

Publicidade
Publicidade

São eles, o Banco do Nordeste, o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal. As demais instituições privadas encerraram a greve que durou cerca de 21 dias.

Após as negociações que envolveram representantes dos sindicatos dos bancários  e da FEBRABAN (Federação Nacional dos Bancos), os bancários decidiram aceitar a proposta destes últimos e em assembleia realizada hoje, dia 26, decidiram encerrar o movimento grevista. A proposta inicial dos sindicatos era um reajuste de 16%. Os representantes dos bancos ofereceram 5,5%. A negociação prosseguiu e por orientação dos movimentos sindicais, foi acatada a proposta de 10% de reajuste.

De acordo com a CONTRAF (Confederação dos Trabalhadores do Ramo Financeiro), as instituições bancárias aceitaram conceder um abono de cerca de 63% sobre as horas de cada funcionário que trabalhe seis horas por dia.

Publicidade

Um mesmo abono de 72% será concedido aos funcionários que trabalhem oito horas diárias. Ficou acertado que, após o retorno ao trabalho, será feito uma compensação de uma hora, em dias úteis, com prazo até o dia 15 de dezembro. Este acerto segue o modelo tradicional, de reajuste acima da inflação, com ganho real e abonação dos dias parados.

Em alguns estados, a paralisação continuará somente nos bancos públicos, como o Banco do Brasil, a Caixa Econômica e o Banco do Nordeste. Em Rondônia, a Caixa continua em greve. No Rio Grande do Sul, o Banco do Brasil continua o movimento. Nos estados do Rio Grande do Norte, Pernambuco, Pará, Maranhão, Goiás, Bahia, Amazonas, Alagoas, Acre e Ceará, a Caixa ou Banco do Brasil, continuam paralisados. 

Neste último Estado, os bancários decidiram por 123 contra 114, que os funcionários do Banco do Brasil continuarão paralisados. Do mesmo modo, os bancários da Caixa Econômica permanecem paralisados após votação de 143 contra 48 que optaram pelo fim do movimento  grevista. #Crise econômica