Mal acabava o dia em Brasília/DF e a Presidente da República, #Dilma Rousseff, se encontrava com seu mentor político e companheiro de partido, o ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva. No final da tarde de ontem (15) os dois se reuniram no Palácio da Alvorada com alguns ministros. Jaques Wagner da Casa Civil, Edinho Silva da Comunicação Social e Ricardo Berzoini da Secretaria de #Governo também estavam no encontro às pressas.

Lula está na capital do país desde a manhã de quarta (14) quando, voluntariamente, prestou depoimento ao MPF (Ministro Público Federal) do Distrito Federal em um processo que apura se o ex-presidente teria praticado tráfico de influência.

Publicidade
Publicidade

Tal inquérito não tem relação com a Operação Lava Jato, onde Lula ainda não foi acusado formalmente de nenhum crime. Logo após prestar depoimento, o ex-presidente fez uma reunião com deputados da bancada do PT em um hotel.

Dilma considera Lula um grande conselheiro político e em momento difíceis a figura do ex-presidente sempre aparece para "salvar" a imagem da presidente. A líder do Brasil sabe, e admitiu publicamente, que o momento econômico e político do país exige cautela e é grave. Dilma Rousseff está correndo o risco de ter um processo de impeachment aberto no Congresso Nacional, mas as manobras não param.

O Senador da República, Delcídio Amaral (PT - MS), que é o líder do governo no Senado, afirmou que a presença de Lula em Brasília/DF em momentos complicados ajuda a colocar as coisas em ordem, deixar os ânimos menos acirrados e unificar os discursos da base aliada dentro do Congresso Nacional.

Publicidade

De acordo com o Delcídio Amaral, a capacidade de articulação e o bom relacionamento interpessoal que Lula mantém com todos os políticos faz as águas do mar se acalmarem.

Após o encontro de Lula com os deputados da base do PT em um hotel, Sibá Machado (PT - AC), que é o líder do partido na Câmara dos Deputados, afirmou que o ex-presidente pediu muita atenção dos deputados quando o assunto for impeachment e, nas palavras dele "não é para brincar". A orientação de Lula para todos os partidários do PT foi de partir para o ataque e confronto quando a oposição falar qualquer coisa sobre a possibilidade de impeachment da presidente Dilma.

Sibá Machado ainda afirmou que Lula parece um técnico de futebol no intervalo do jogo. Apela para a emoção e consegue deixar o time organizado. Sobre o afastamento de Dilma Rousseff por conta das pedaladas, o líder do governo na câmara afirmou que a oposição não tem argumentos fortes para o pedido de impeachment e que se a presidente utilizou deste artifício foi por um bem maior.