Hillary, advogada e formada em Ciência Política, ex-primeira dama de Bill Clinton, assume a candidatura à presidência em 2016 e mostra que veio para ganhar as eleições. Seu histórico na política começou ao lado de Bill Clinton e ao decorrer do tempo mostrou-se muito engajada em projetos sociais como o Programa de Seguro Saúde para Crianças e a Lei da Adoção e da Segurança Familiar entre outros. Já candidata anteriormente em 2008 Hillary também saiu-se bem em sua campanha política porém acabou deixando de ser eleita a presidência na época perdendo só para Barack Obama.

Em debate ocorrido em Las Vegas(Nevada), na presença de mais quatro candidatos entre eles Jim Webb, Lincoln Chafee, Martin O'Malley, somando o percentual de intenções de votos destes, não utrapasou 5%.

Publicidade
Publicidade

O único que estava à altura da competição com Hillary foi o Bernie Sanders, que atacou vorazmente sua oponente trazendo à tona a questão financeira com frases como "sistema corrupto político de financiamento", mas em contra partida Hillary demonstrou domínio e facilidade sobre a maioria dos tópicos abordados no debate.

Na liderança democrata, Hillary com toda sua bagagem e conhecimento político é uma candidata que apoia as causas femininas, além do seu histórico de ações sociais enfatizando o bem estar da família americana. Ela é a favor da mulher no poder, já demonstrou isto diversas vezes em todas as suas viagens como Secretária de Estado, que aliás foi a Secretário de Estado que mais fez viagens.

O favoritismo de Hillary ainda não é motivo para ânimo, pois os americanos sabem que ainda é cedo para definir um candidato, os debates ainda estão começando e prometem ser disputado acirradamente.

Publicidade

Como nos Estados Unidos o voto é opcional, os candidatos serão eleitos conforme o “andar da carruagem” que antecede as eleições. Uma campanha bem feita e a conquista do eleitorado são desafios que determinarão a candidatura de Hillary.

A  exemplo do Brasil, com nossa primeira presidente Dilma, os americanos não podem tirar boas conclusões de uma mulher no poder, por conta da situação financeira atual e dos escândalos que estouraram, porém acredita se que este fato ainda cause um pouco de receio aos eleitores, porque trata-se de uma questão ideológica e preconceituosa. Hillary ganhando a presidência em 2016 não só será uma vitória política mas sim uma vitória cultural pois saberemos que o machismo e o preconceito está perdendo forças pois confirmar-se-á que antigos preconceitos estão se acabando e a maior potência do mundo será liderada por uma mulher. #Governo #Dilma Rousseff #Eleições 2016