O instituto Datafolha divulgou uma pesquisa, nessa sexta-feira (30), que trata sobre a opinião dos deputados a respeito da situação política do presidente da Câmara dos Deputados, #Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Segundo o levantamento, 45% dos deputados que responderam ao questionamento são favoráveis à renúncia. O instituto afirma que entrou em contato com todos os 513 deputados, porém, apenas 324 quiseram participar, número que representa 63% do total.

A respeito de Eduardo Cunha foram feitas duas perguntas. A primeira questionava se o presidente da Câmara deveria ou não renunciar ao cargo. Dos 324 deputados que responderam a pesquisa, 45% disseram que o parlamentar deveria renunciar, 25% apoiaram a permanência de Cunha e 30% preferiram não se manifestar nesse item.

Publicidade
Publicidade

O segundo questionamento tratava sobre a possibilidade de votar a cassação de Eduardo Cunha. Nesse momento, a mão de ferro de Cunha com os deputados pôde ser percebida além das paredes do plenário. 52% dos entrevistados preferiram não se posicionar, enquanto 35% afirmaram que votariam sim a favor da cassação de Cunha. 13% dos entrevistados votariam não.

A pesquisa Datafolha ouviu os parlamentares entre os dias 19 e 28 de outubro. É importante ressaltar que, segundo o instituto, todos os deputados foram informados sobre a confidencialidade de suas respostas. Por outro lado, caso haja uma votação futura na Câmara sobre uma possível cassação de Cunha, o voto seria aberto.

Dilma e o impeachment

O Datafolha também quis ouvir a opinião dos deputados a respeito da possibilidade de #Impeachment da presidente #Dilma Rousseff (PT).

Publicidade

Dos 324 parlamentares que aceitaram participar da pesquisa, 39% disseram que votariam a favor do impeachment caso ele chegue ao plenário da Câmara. 32% afirmaram votar contra e 29% preferiram não se posicionar.

No caso da presidente Dilma, os senadores também foram ouvidos pela pesquisa. Dos 81 senadores no total, 51 aceitaram participar da pesquisa, número que representa 63% da Casa.

O apoio a presidente Dilma se mostra mais claro no Senado Federal. 43% afirmaram votar contra o processo de impeachment, enquanto 37% votariam a favor. 20% preferiu não se posicionar.