Quando a presidente da república parecia estar vivendo uma marolinha, um verdadeiro tsunami invadiu o início de sua semana. De acordo com a colunista Monica Bergamo do jornal Folha de São Paulo em reportagem publicada nesta terça-feira, 06, o Tribunal Superior Eleitoral, o TSE, deve mesmo abrir uma investigação contra a presidente da república Dilma Rousseff. O Tribunal irá analisar a campanha de Dilma e de seu vice-presidente, Michel Temer. O objetivo é descobrir de o dinheiro desviado da Petrobrás foi mesmo destinado à campanha do Partido dos Trabalhadores. O esquema de corrupção na estatal já está sendo investigado pela polícia federal na chamada operação Lava Jato. 

Caso se confirme a informação, será a primeira vez que a entidade abrirá uma ação de impugnação de mandato.

Publicidade
Publicidade

Apesar da ação estar prevista na constituição, ela nunca foi utilizada desde a redemocratização. Quatro dos sete magistrados, segundo a Folha, devem votar pela abertura das investigações. A partir daí Dilma e Michel Temer terão as suas contas devassadas.

O TSE, inclusive, pode pedir depoimentos de outros tribunais, como o da operação Lava Jato, para utilizar como provas contra o atual governo. Os advogados da presidente torcem para que a sessão sofra um adiamento, isso porque Gilmar Mendes está em viagem ao exterior. Com o processo aberto e finalizado, o Tribunal Superior Eleitoral terá três escolhas: absolver a chama, condená-la, mas apenas através de uma multa, ou até em uma análise, a cassação de #Dilma Rousseff e Michel Temer. 

Com a cassação dos dois, caberia o presidente da Câmara dos Deputados, o deputado Eduardo Cunha do PMDB comandar o país e pedir novas eleições em até noventa dias.

Publicidade

A decisão do TSE aparece em um momento que o TCU, o Tribunal de Contas da União, deve rejeitar as contas do governo federal. Tal fato também seria plausível para a abertura de um processo de #Impeachment. Enquanto isso, a líder do governo corre contra o tempo. O problema é que ela deve ter pouca adesão da população, já que vive rejeição recorde.