O secretário de #Governo da cidade do Rio e pré-candidato à prefeitura em 2016, Pedro Paulo (PMDB), tem um terceiro boletim de ocorrência por violência doméstica registrado contra si. A revelação é da revista ÉPOCA, que descobriu uma nova anotação criminal em desfavor do político, que é o preferido do prefeito Eduardo Paes (PMDB) para a sucessão, em 2016. O novo registro é de 4 de agosto de 2010, quando Alexandra Marcondes foi à 16ª delegacia de polícia da Barra da Tijuca - na zona oeste do Rio - para denunciar que estaria sendo "ameaçada constantemente" por Pedro, com quem foi casada por sete anos e que havia se separado há pouco mais de 6 meses.

Publicidade
Publicidade

Alexandra já havia registrado queixa em fevereiro daquele ano, por agressões, assim como em 2008. Nas duas ocasiões anteriores, exames de corpo de delito revelaram que Pedro Paulo espancou a ex-mulher, desferindo-lhe socos, chutes e chegando a quebrar um de seus dentes. De acordo com ela, o secretário não aceitava a separação - que teria sido motivada por infidelidade de Pedro - e não "respeitava" as datas que foram estipuladas pela Justiça para que o político visitasse a filha do casal, à época com quatro anos. A Vara de Família determinou que Pedro Paulo veja a filha uma vez por semana e fique com ela em fins de semana alternados.

De acordo com o terceiro boletim de ocorrência descoberto, que gerou o inquérito de número 016-08687-2010, o secretário "diariamente liga para a declarante [Alexandra] e para a mãe da mesma, dizendo que vai tirar a guarda da criança e que vai sumir com ela".

Publicidade

Alexandra declarou aos policiais que Pedro Paulo foi ao prédio onde ela morava um dia antes, subiu sem sua autorização e chutou a porta de seu apartamento por diversas vezes, só indo embora quando ela ameaçou chamar a polícia.

Na última semana, Alexandra e Pedro convocaram uma coletiva de imprensa para declarar que as brigas entre eles estavam superadas. O secretário minimizou os dois casos de #Violência doméstica conhecidos, admitindo apenas um episódio: "Quem não tem uma briga, um descontrole, quem não exagera numa discussão? A gente às vezes exagera, fala coisas que não deve. Quem não tem essas discussões e perde o controle? A gente perde o controle e tem discussões". O prefeito Eduardo Paes disse que não comentaria os problemas do ex-casal e que Pedro Paulo continuaria tendo seu apoio para a sucessão. Procurados, o secretário, o PMDB e Alexandra Marcondes afirmaram que não vão se pronunciar sobre o terceiro boletim de ocorrência.

Petição pede a exoneração do secretário

O coletivo "Meu Rio" vem coletando assinaturas pela internet para entregar ao prefeito Eduardo Paes na próxima reunião do Conselho da Cidade, solicitando a imediata exoneração de Pedro Paulo da secretaria de Governo da capital.

Publicidade

De acordo com a rede, a campanha foi criada porque "56 mil mulheres cariocas foram vítimas de lesão corporal dolosa" apenas em 2014, e "a pré-candidatura de Pedro Paulo à prefeitura do Rio é preocupante", já que o político "naturaliza a violência contra a mulher". Até o fechamento desta reportagem, 16.677 pessoas já haviam assinado, na página www.prefeitodeoexemplo.meurio.org.br. #Crime