Eduardo Cunha, presidente da Câmara dos Deputados, está sendo investigado por omitir  informações sobre suas contas na Suíça. Apesar de o deputado negar a situação, tramita no Senado um processo contra si. Esta quinta-feira (19) estava marcada uma reunião para verificar a veracidade do recurso, que foi proposto pelo Conselho de Ética (Deputado Fausto Pinato). Porém, a reunião foi suspensa.

Na segunda-feira (16), o deputado Fausto Pinato resolveu dar continuidade ao processo de cassação, porque todas as provas mostraram a veracidade dos fatos. Segundo o Presidente do Conselho de Ética, José Carlos Araújo, até o final do dia será lido o relatório no plenário da Câmara, e Cunha terá o direito de defesa pelos advogados.

Publicidade
Publicidade

O presidente da câmara em Brasília mentiu em depoimento prestado ao juiz Sérgio Moro; ele foi delatado na operação Lava-Jato pelo empresário Júlio Camargo. A prestação de falso testemunho é crime, daí a investigação,

A representatividade do país fica a desejar com tantas acusações sobre #Eduardo Cunha; ele tem muito poder de decisão no cargo que ocupa. Para muitos parlamentares, a opção correta seria o próprio renunciar ao cargo, pois sua imagem está  manchada.

ESSE PROCESSO TERÁ CONTINUIDADE?

O deputado tem fortes alianças no Congresso e muitos aliados; os parlamentares não estão entusiasmados em levar adiante esse processo contra Eduardo Cunha, por isso arrastar e adiar ao máximo será para eles a melhor saída.

O presidente da câmara adiou o processo de impeachment da presidente #Dilma Rousseff para 2016, sinalizando que permanecerá no cargo e cabe a ele a decisão para levar adiante ou não esse pedido, que foi feito pela oposição.

Publicidade

Cabe aos deputados analisarem a situação e decidirem o que querem para o Congresso Nacional e para o país. Será que desejam a ética, a mudança e o comprometimento ou a continuidade dos erros? São muitas as denúncias, indícios de corrupção e desvios de dinheiro, mas caberá também ao povo decidir, pois o próximo ano é de eleições.

O eleitor poderá decidir o que é melhor em termos de representatividade para o povo e a informação é o melhor caminho. O país passa por uma crise em todos os aspectos e os deputados precisam optar pelo melhor caminho e trabalhar mais para o povo que os elegeu.