#Eduardo Cunha foi alvo de um protesto inesperado na Câmara dos Deputados. Na tarde desta quarta-feira, dia 04 de novembro, enquanto discursava para jornalistas, Eduardo Cunha foi surpreendido por uma chuva de notas de cem dólares falsas que foram arremessadas sobre ele.

O protesto foi feito por um integrante do denominado "Levante Popular da Juventude". Cunha tomou um susto e teve que parar a entrevista, enquanto as notas caíam sobre seu rosto.

O autor do protesto foi identificado como Tiago Ferreira, um jovem de 26 anos. Ao arremessar as notas, o manifestante bradou em tom alto, a seguinte afirmação: "Toma a tua encomenda da Suíça, Cunha".

Publicidade
Publicidade

As notas utilizadas no protesto não eram verdadeiras e todas eram no valor de cem dólares. No corpo da mesma, a figura de Benjamin Franklin, que ilustra as notas verdadeiras habituais, foram substituídas pelo retrato do presidente da Câmara.

O episódio guarda muita semelhança com o que aconteceu com o ex-dirigente da CBF, Joseph Blatter, que na ocasião também estava sendo acusado de #Corrupção e recebeu uma chuva semelhante durante uma entrevista.

O jovem do episódio de Cunha foi rapidamente retirado do local pelos seguranças e pela polícia legislativa. No momento em que era retirado, Tiago gritava palavras de ordem contra o PT.

Eduardo Cunha tentou não se intimidar com o protesto. Ao ser indagado pelo fato, ele respondeu que não iria recuar de sua ações. Acusou o militante de ter sido colocado ali, a mando de alguém, que queira provocar certo tumulto.

Publicidade

Atribuiu o episódio a alguma pessoa que possuía algum tipo de objetivo, mas não se dispôs a arriscar nenhum palpite.

O mesmo salão verde que serviu de cenário para a chuva de dólares em Cunha, foi mais uma vez palco de tumultos provocados pela instalação de um painel, que mostra as assinaturas dos parlamentares que apoiam o impeachment de Dilma Rousseff. O mesmo ficava ao lado de manifestantes, que há alguns dias, ocupam o espaço em protesto a favor da saída da presidente e foi colocado pelos parlamentares de oposição. 

Cunha não gostou e mandou que o mesmo fosse retirado. O ato gerou muita confusão e revolta, mas quem o colocou foi mais rápido e retirou o mesmo antes dos seguranças chegarem. Cunha ficou indignado e disse que vai mandar instalar uma investigação interna para saber quem são os autores dos atos, que estão tirando a ordem da casa.