O ano de 2016 será difícil para os brasileiros e o corte que está sendo feito no orçamento vai impedir que a eleição seja realizada conforme vinha acontecendo nos últimos anos, pois a urna eletrônica não poderá ser utilizada conforme foi publicado nesta segunda-feira (30) no Diário Oficial da União.

A portaria não informou os reais motivos que inviabilizam o uso de urnas eletrônicas nas eleições de 2016, apenas diz que o "contingenciamento imposto" é que está impedindo que a tecnologia possa ser usada para garantir uma eleição rápida e segura.

Desta forma, a falta de dinheiro já dá seus primeiros sinais que 2016 será um ano de muitos cortes.

Publicidade
Publicidade

As eleições municipais foram as primeiras a sentir a "faca" do Governo e os eleitores terão que retomar o antigo costume do voto manual, algo que não acontecia no Brasil desde o ano de 2000.

Mais de R$ 428 milhões não serão repassados à Justiça Eleitoral, que não terá verba para a compra e manutenção dos equipamentos que são utilizados em uma eleição eletrônica.

E o impacto maior será na aquisição destas urnas eletrônicas, pois a licitação já estava sendo realizada com término previsto para o fim de dezembro. A verba necessária só nesta licitação seria de R$ 200 milhões.

No início do mês de novembro, o TSE aprovou o calendário eleitoral para as eleições municipais do próximo ano, quando os eleitores brasileiros irão eleger prefeitos, vice-prefeitos e também vereadores.

O calendário já traz as alterações conforme determina a Lei 13.165, que foi aprovada em 29 de setembro de 2015 pelo Congresso Nacional.

Publicidade

As eleições serão realizadas no dia 2 de outubro para o primeiro turno e dia 30 do mesmo mês nos municípios em que houver necessidade do segundo turno, sendo que somente as cidades que possuam mais de 200 mil eleitores poderão realizar o 2º turno.

E a propaganda eleitoral gratuita, no rádio e na TV, que antes era de 45 dias, agora poderá ser feita somente por 35 dias, começando a partir do dia 26 de agosto.

Para alguns brasileiros, o voto manual não é problema, mas os mais jovens, que sempre votaram pela urna eletrônica, certamente irão estranhar. #Corrupção #Eleições 2016 #Crise no Brasil