Macri, engenheiro civil de 56 anos, empresário e ex-prefeito da cidade de Buenos Aires, foi eleito presidente da Argentina derrotando o candidato do #Governo Daniel Scioli, encerrando assim um período de 12 anos de governos Kirchneristas e quase sete décadas de governo peronista, que apesar de derrotado conseguiu 48% dos votos e ainda representa uma grande parte da população.

Eleição

A sua eleição não chegou a ser surpreendente já que foi para o 2º turno da campanha em crescimento e praticamente empatado com o candidato governista. Entretanto, a vitória por apenas 3% dos votos demonstra como a população estava dividida. A partir de agora deve oficializar rapidamente o seu gabinete para que possa iniciar a execução de seu plano de governo.

Publicidade
Publicidade

Os primeiros 100 dias serão fundamentais para sedimentar o caminho que será seguido pelo futuro presidente. Na área política deve estabelecer um diálogo com os governadores para os assuntos de estado, buscando melhorar a qualidade institucional do país e tentar garantir o apoio de senadores peronistas.

Economia

A maior preocupação para esse inicio de mandato é a economia, a qual não se tem indicadores confiáveis não sendo possível medir, por exemplo, o nível de reservas do Banco Central ou mesmo o total dos gastos públicos. Dentre as principais medidas será a redução da inflação, ajustar o déficit fiscal e atrair os investimentos internacionais. Entretanto, essas mudanças não são tão simples já que uma medida pode desregular a outra. Uma intervenção no câmbio pode acabar com as poucas reservas de forma mais rápida.

Publicidade

Assim, seguem as expectativas em relação ao futuro ministro da economia que até momento tem se falado num conselho, mas existem favoritos: Rogelio Frigerio e Javier González Fraga, que adotam uma prática mais desenvolvimentista. Mas se existem dúvidas em relação ao ministro, existe a certeza de que este terá um ajudante de peso: Maurício Macri.

Desafio

O desafio do presidente será grande porque precisa reformar a economia e atrair mais dólares e por outro lado se comprometeu a manter as tarifas sociais. A expectativa em torno da melhoria da economia já atingiu o mercado e o primeiro sinal positivo foi o maior aumento da bolsa de valores desde 2012.

Macri deve restaurar também a confiança da Argentina junto ao Mundo e o Brasil deve ser palco da sua primeira visita. Além disso, deve restabelecer em pouco tempo a relação com os EUA e organismos de crédito internacional, buscando abrir um diálogo de apoio e ajuste fiscal. #Mercosul