Os brasileiros a cada dia tem mais vergonha dos políticos que governam o Brasil. Pela primeira vez em toda a história, um senador foi preso em pleno o exercício de seu mandato. Delcídio do Amaral, do Mato Grosso do Sul, não teve o apoio de seus colegas, que na noite desta quarta-feira, 25, decidiram pela sua permanência atrás das grades. O senador também não teve apoio da presidente da república, Dilma Rousseff. Um evento que aconteceria no Palácio do Planalto, em Brasília, até então com previsão para ser aberto à imprensa, simplesmente foi fechado para os jornalistas. Com medo do que pode acontecer daqui para frente, já que enfrenta uma grave crise política e econômica, Dilma preferiu se calar. 

Existem informações de bastidores que o nome da própria presidente já havia sido citado nas delações de Cerveró.

Publicidade
Publicidade

A prisão do senador tanto tempo depois das delações surpreendeu a todos, até mesmo alguns setores da polícia federal. Delcídio do Amaral era líder do governo no senado. O partido soltou um comunicado dizendo que não tem obrigação de defender o congressista, argumenta que as ações do senador em nada tem a ver com o partido. É como se o #PT já deserdasse Delcídio antes mesmo dele ser de fato condenado pelo o que é acusado, tentar atrapalhar as investigações da operação Lava Jato, que investiga o dinheiro desviado da Petrobrás. 

Pela primeira vez, um nome de fato forte é preso. E esse totalmente ligado à #Dilma Rousseff. Por ser líder do partido, Delcídio mantinha conversas semanais com a presidente. Para o presidente do partido de oposição à presidente, senador Aécio Neves (PSDB), tudo o que está ligado à operação Lava Jato de alguma maneira tem como cordão umbilical o Palácio do Planalto.

Publicidade

Para ele, seria impossível montar um esquema desse porte sem que o próprio governo federal não ficasse sabendo do que estava acontecendo. 

Só o tempo dirá o que acontecerá com Dilma. A presidente havia ganhado um respiro com as denúncias contra Cunha. Agora, ao que parece, o olho do furacão vai mirar de novo na presidente.  #Impeachment