#Eduardo Cunha não vai poder contar com o apoio do Partido dos Trabalhadores (PT) na Comissão do Conselho de Ética e talvez comece a colocar em prática suas ameaças de começar a movimentar-se a favor do #Impeachment de Dilma Rousseff.

A bancada do PT já decidiu que vai votar a favor de que o processo de cassação do presidente da Câmara tenha continuidade e Cunha (PMDB-RJ) poderá perder seu mandato.

Até o dia de ontem, terça-feira (01), havia a possibilidade de que os representantes da legenda aceitassem a proposta de Cunha e votassem contra o início do processo para sua cassação. Desta forma, ele não levaria adiante os pedidos a favor do Impeachment de Dilma.

Publicidade
Publicidade

Porém, hoje, os petistas confirmaram que não estarão do lado do deputado.

O que pesou nesta decisão foi que parlamentares e também prefeitos do PT entraram em contato com a direção nacional do partido e ameaçaram uma desfiliação em massa, caso a sigla apoiasse Cunha no Conselho de Ética.

São três deputados do PT integrando a Comissão e estes votos serão decisivos para o peemedebista conseguir ou não colocar um fim na discussão a respeito da cassação de seu mandato. A acusação é de que Cunha está envolvido na corrupção da Petrobras.

Mas, no PT, há muitos que são a favor de um acordo com Eduardo Cunha, entre eles, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que acredita que assim o presidente da Câmara iria retribuir o favor, não favorecendo o Impeachment de Dilma Rousseff. Só que a maioria na direção do Partido dos Trabalhadores não quis ir por este caminho e acredita que ajudar Cunha agora seria ceder à chantagem feita por ele.

Publicidade

A direção do PT, inclusive, quer que a presidente encare este desafio, pois, segundo o partido, quem não deve não teme. Jaques Wagner, ministro da Casa Civil, vinha trabalhando no sentido de convencer os petistas a ficarem do lado de Cunha, mas os parlamentares do partido alegaram que isto seria um "suicídio político" e recusaram apoiá-lo.

Mais da metade dos deputados do PT na bancada promoveram um abaixo assinado contra o presidente da Câmara, deixando claro que ele não teria qualquer tipo de apoio da sigla na Comissão de Ética.

Cunha, vendo que os três integrantes do PT na Comissão não estão dispostos a apoiá-lo, resolveu dar mais vantagens ao partido, caso eles mudem de ideia, e garantiu que se tiver os votos dos petistas a seu favor, irá apoiar a volta da CPMF. #É Manchete!