A presidente da república Dilma Rousseff ainda tenta digerir o baque da aceitação de um pedido de impeachment por parte do Deputado Federal Eduardo Cunha (PMDB), presidente da Câmara dos Deputados. A líder petista discutia a nova meta fiscal, quando viu pela televisão, ao vivo, a entrevista dada por Eduardo Cunha, na qual explicou que por motivos de ordem técnica, aceitou um dos 34 pedidos de impeachment enviados contra a presidente. Segundo ele, nunca na história do país um representante público brasileiro recebeu tantos pedidos como esse. 

De acordo com informações do jornal Folha de São Paulo em reportagem publicada nesta quinta-feira (03), #Dilma Rousseff ficou alguns minutos em silêncio, para depois anunciar que no mesmo dia faria um pronunciamento, no qual ela se defendeu das alegações expressas no pedido, como as pedaladas fiscais, que já tinham sido objeto de investigação do Tribunal de Contas da União, o TCU.

Publicidade
Publicidade

Depois de pedir um assessor para pegar a roupa que usou no pronunciamento, ela olhou para todos que estavam perto dela e desabafou: "vocês conhecem todos os meus defeitos. Sabem que não sou ladra", disse ela. 

Depois do desabafo, Dilma Rousseff recebeu um telefonema do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele deu todo apoio à colega de partido. A governante do Brasil fez questão de escrever de próprio punho sua defesa. Depois de falar, Dilma voltou para seu gabinete e foi aplaudida por sua equipe. 

O vice-presidente, Michel Temer, decidiu não se pronunciar sobre a aceitação do processo de impeachment. Segundo a Folha de São Paulo, Temer ficou sabendo da notícia pelo próprio presidente da câmara, que é do seu mesmo partido, o PMDB. Michel então preferiu não manifestação qualquer reação e segue sem falar com a mídia. 

Movimentos sociais, mesmo não concordando em totalidade com a gestão de Dilma Rousseff, vão fazer reuniões nesta quinta.

Publicidade

Eles prometem fazer manifestações nas ruas contra Cunha. Os partidos de oposição também devem fazer o mesmo, mas nesse caso, pedindo que a abertura do impeachment seja concretizada pela câmara.  #PT