Hoje (02), Eduardo Cunha aceitou o processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff. O presidente da Câmara aceitou o pedido de Hélio Bicudo, um dos fundadores do #PT, que fez pedido baseado principalmente nas "pedaladas fiscais" que o governo praticou. Isso aconteceu horas após o PT sinalizar que votaria pela cassação de Cunha no Conselho de Ética.

Às 20h30, a presidente #Dilma Rousseff deu o seu primeiro pronunciamento sobre o assunto. Ela começou falando sobre a votação das metas fiscais. Disse que recebeu com "indignação" a informação sobre o processo de #Impeachment, já que foi eleita de forma democrática pelo povo brasileiro.

Publicidade
Publicidade

Afirmou mais uma vez que não praticou nenhum ato ilícito e disse que não tem conta no exterior ou emitiu contas, fazendo referência clara às denúncias de Eduardo Cunha. Ela também citou que não usa o cargo para coagir ninguém, se referindo indiretamente a Cunha.

Ela comentou o fato da bancada do PT barganhar votos no Conselho de Ética ter virado notícia, mas afirmou que nunca aceitaria tal coisa. Dilma disse que está tranquila e acredita em seu "justo arquivamento". Dilma entrou no ambiente cheio de jornalistas, leu o texto de seu discurso, agradeceu e saiu da sala, sem responder nenhuma pergunta dos presentes. O pronunciamento durou cerca de 3 minutos.

Rui Falcão, presidente do PT, também se pronunciou sobre o assunto, afirmando que a ação de Cunha é golpe e escrevendo: "Golpistas não passarão! #NãoVaiTerGolpe #DilmaFica" em sua conta do Twitter. 

Meta fiscal foi aprovada

Também foi aprovado hoje o projeto de lei que reduz a meta fiscal deste ano.

Publicidade

Ainda falta, entretanto, votar sobre as "pedaladas fiscais", que é um dos argumentos do pedido de impeachment entregue por Hélio Bicudo e aceito por Eduardo Cunha. 

A votação acontecerá para para decidir se o trecho que prevê abatimento de até R$ 57 bilhões para compensação das pedaladas será retirado. 

Com os últimos acontecimentos, as dúvidas sobre o que acontece se Dilma sair do cargo são muitas. Tire suas dúvidas sobre todos os possíveis próximos passos do processo de impeachment.