#Eduardo Cunha, presidente da Câmara, está ameaçando dar início ao processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, mas poderá mudar de ideia se o PT ajudá-lo. E os petistas, que já tinham se posicionado contra o deputado, já voltaram atrás e estão discutindo a possibilidade de ajudá-lo a salvar seu mandato.

Cunha esteve com o vice-presidente da república, Michel Temer, em um almoço de negócios nesta segunda-feira (30) e foi onde revelou que pretende dar seguimento ao processo de #Impeachment contra Dilma, mas que estava aguardando o posicionamento de pelo menos três deputados do PT para que ele possa tomar a decisão final sobre o que será feito com os pedidos de impeachment que estão em suas mãos.

Publicidade
Publicidade

Se os petistas votarem pela cassação de seu mandato ele acata um pedido de impedimento da presidente e complica a vida do PT. Temer preferiu não se aprofundar no assunto e ficar mais alheio a esta questão.

Eduardo Cunha acusa o Planalto de ter tramado contra ele e ser o responsável pelo tal bilhete que o acusa de receber R$ 45 milhões do BTG Pactual. Este valor teria sido pago para que o deputado incluísse alterações em uma medida provisória que iriam privilegiar o banco. Cunha garante que tudo isto é uma "armação" contra ele.

O Conselho de Ética se reúne hoje, dia 1º de dezembro e a votação será apertada. Os 21 integrantes do conselho deverão votar a favor ou contra o seguimento do processo contra Eduardo Cunha. Fausto Pinato, do PRB-SP, apresentou um relatório onde se posiciona a favor da continuidade do processo contra Eduardo Cunha.

Publicidade

E o PT conta com 3 integrantes no Conselho de Ética e estes votos serão determinantes para o prosseguimento ou não do processo para a cassação do mandato do peemedebista.

A bancada do PT passou a segunda-feira (30) em reunião com os ministros Jaques Wagner que é da Casa Civil e Ricardo Berzoini da Secretaria de Governo na tentativa de encontrarem uma solução.

Será que o PT terá coragem de ir contra Cunha e colocar o mandato de #Dilma Rousseff em risco?