O clima continua tenso entre Dilma e Eduardo Cunha por causa do impeachment. Se ontem a presidente aproveitou seu comunicado para alfinetar o presidente da Câmara, hoje foi a vez do deputado chamar Dilma de mentirosa.

Assim que #Eduardo Cunha anunciou que estava aceitando o pedido de #Impeachment contra a presidente, Dilma se reuniu com seus assessores para preparar o comunicado que logo foi realizado e repercutiu não só por todo o Brasil, mas também lá fora.

Nesta quinta-feira (03), Cunha disse que Dilma "mentiu à nação em rede de TV", se referindo ao fato que a presidente negou que jamais teria barganhado o impeachment em troca de apoio ao deputado na Comissão de Ética.

Publicidade
Publicidade

Cunha acatou um dos pedidos de impeachment protocolado justamente no dia em que três deputados do PT confirmaram que iriam negar apoio ao peemedebista na Comissão onde o deputado está sendo acusado de envolvimento com a "Lava Jato".

Conforme já havia indicado anteriormente, Eduardo Cunha acolheu o principal pedido de impeachment por não ter apoio do PT e poucas horas depois, Dilma já estava com toda a imprensa reunida para dar seu parecer sobre o caso e garantiu que "nunca fez barganha".

A presidente do Brasil afirmou que nunca aceitaria quaisquer tipos de barganha, principalmente quando elas atentem contra as instituições democráticas do Brasil. Nesta quinta-feira, Cunha declarou que Dilma mentiu ao país, já que segundo ele o governo enviou a proposta e foi ele que na verdade teria recusado.

Publicidade

Ainda de acordo com o deputado, Jaques Wagner, ministro da Casa Civil, quem levou o deputado André Moura para conversar com Dilma e foi nesta conversa que a proposta da barganha teria sido feita a André, que é aliado de Eduardo Cunha. A proposta era para ele aprovar a volta da CPMF em troca de apoio para que seu mandato não fosse cassado.

Cunha ainda negou que tenha aceitado o pedido de impeachment por chantagem e que não quer agredir Dilma, mas só o fato dela ir à televisão para mentir já é algo que ele considera extremamente grave. #Dilma Rousseff