Um nova acusação cai sobre #Eduardo Cunha que sofreu uma reviravolta essa semana. Segundo Rodrigo Janot, Procurador Geral da República, Eduardo Cunha recebeu propinas referentes a contratos de prestação de serviços para as Olimpíadas 2016. O cenário político não está nada favorável para Cunha nesta semana.

Deputado perde força política

Eduardo Cunha perdeu muito espaço político com diversas operações realizadas nesta semana. A primeira foi a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) a respeito da aceitação do pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Eduardo Cunha foi derrotado pelo Supremo que definou regras para o processo de impeachment.

Publicidade
Publicidade

No mesmo dia, a casa do parlamentar e seu gabinete foram alvos de busca e apreensão da Polícia Federal, em uma operação de nome curioso. Nesta altura a PF encontrou cópias de boletins de ocorrência registrados por Fausto Pinatto do PRB em seu paletó. Os boletins nem eram referentes ao Presidente da Câmara e Eduardo Cunha foi colocado em 'maus lençóis'.

Acusação sobre Eduardo Cunha

Mais uma vez as empreiteiras são o alvo das investigações da PGR. Segundo o órgão Cunha favoreceu empreiteiras ao aprovar uma medida provisória que beneficiava contratos firmados entre empreiteiras e o Governo Federal. 

O deputado é acusado de receber quase dois milhões em propinas, segundo a PGR. O valor foi quitado em duas parcelas e beneficiou empresas que realizaram obras no Rio de Janeiro.

Novo escândalo do Presidente da Câmara

Os dias não estão fáceis para Eduardo Cunha.

Publicidade

Após o anúncio das regras de andamento do impeachment da presidente Dilma Rousseff anunciadas pelo STF, o Deputado Federal se sente surpreso e percebe que a cada dia perde força no cenário político.

O PMDB disputa com voracidade a liderança do partido por outros membros no #Congresso Nacional. A figura de Eduardo Cunha será substituída por outra que vencer nas eleições internas do partido em janeiro. Até 2016, o Brasil entrará de recesso de um ano conturbado na política e na economia. Mas o próximo ano promete mais reviravoltas e recomposição da política brasileira, que passa por mudanças significativas atualmente, onde a punição contra a corrupção ganha espaço em todo o país. #Justiça