Não é desta vez que Eduardo Cunha (PMDB-RJ), presidente da Câmara dos Deputados, irá renunciar ao seu mandato. Quem garante é o próprio Cunha que além da certeza de continuar no cargo também comentou sobre a ação da Polícia Federal.

Cunha achou estranho a forma de agir da PF, tanto em sua residência como também em seu escritório, principalmente por ser às vésperas de quando será definida a decisão sobre o impeachment de Dilma e também do Conselho de Ética que está analisando o pedido de representação contra o Deputado.

O presidente Eduardo Cunha também criticou o PT e fez questão de dizer que quase todo dia tem alguma nova denúncia sobre "Caixa 2" do Partido dos Trabalhadores, mas a Polícia Federal resolve investigar é o PMDB.

Publicidade
Publicidade

Para Cunha, até quem é menos inteligente perceberá que tem algo estranho, já que a atuação da Polícia Federal foi às vésperas de uma decisão tão importante para o país.

O Deputado ainda continuou reclamando e disse que somente aqueles que não são do PT estão sujeitos às operações da PF e que ele foi escolhido por ser um desafeto de Dilma Rousseff.

Mostrando-se seguro, #Eduardo Cunha disse não estar preocupado com as operações realizadas e as buscas feitas, apenas achou estranho que esta operação da polícia esteja focada no PMDB.

POLÍCIA FEDERAL CUMPRE MANDADO DE BUSCA E APREENSÃO NA CASA DE EDUARDO CUNHA

Na manhã desta terça-feira (15), a Polícia Federal esteve na residência de Eduardo Cunha cumprindo mandado de busca e apreensão. A operação foi à casa oficial do Deputado em Brasília e também em sua casa particular, no Rio de Janeiro.

Publicidade

As buscas ainda foram feitas nas residências dos ministros Celso Pansera (ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação) e Henrique Eduardo Alves (ministro do Turismo) sendo que ambos são do PMDB, o que deixou Cunha revoltado.

IMPEACHMENT

Sobre a questão do Impeachment, a posição do Supremo Tribunal Federal será anunciada nesta quarta-feira, dia 16 e é grande a expectativa, principalmente dos aliados da presidente Dilma Rousseff. #Corrupção #Casos de polícia