Em nota no site oficial do Partido dos Trabalhadores, o presidente do #PT, Rui Falcão, anunciou que está marcada para a próxima sexta-feira (4) reunião da Comissão Executiva Nacional do PT para discutir as medidas cabíveis ao caso do senador Delcídio do Amaral (PT-MS). No texto, Falcão trata as ações do senador de “violações éticas” e “que se comprovaram”.

Segundo matéria publicada pelo Estadão, Falcão informou a correligionários da corrente Articulação de Esquerda, em reunião realizada no último sábado (28), que irá pedir a expulsão dos quadros do PT de Delcídio.

"As correntes de esquerda em conjunto com o presidente do PT vão pedir a expulsão", cravou Carlos Henrique Árabe, secretário nacional de formação.

Publicidade
Publicidade

Rui Falcão deixa claro em seu artigo que a reunião terá cunho totalmente voltado para a política. Segundo afirmou, a decisão será pautada pelo Estatuto e Código de Ética do partido, deixando as medidas penais para o Superior Tribunal Federal (STF).

“É inquestionável que o senador Delcídio traiu a confiança do PT, do governo Dilma, de quem era líder do Senado, e frustrou o seu próprio eleitorado.”, afirmou o presidente Rui Falcão.

Trâmite da expulsão

Os pares que irão se reunir na Comissão Executiva Nacional do PT não tem poderes para expulsar Delcídio nesse momento. No caso da reunião de sexta-feira, deve ser aprovada a suspensão do senador de todas as atividades relacionadas ao partido e encaminhada a decisão ao Conselho de Ética. Após o recebimento, o Conselho irá desenvolver um relatório dando parecer sobre o caso, que terá que ser votado pelo Diretório Nacional do PT, cabe a ele a decisão final.

Publicidade

“Abandonado”

Segundo reportagem da Agência Estadão Conteúdo, o senador disse estar se sentindo abandonado pelo Congresso e Planalto. Assessores que estão em contanto com Delcídio informaram que apenas o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e o ex-presidente da República, José Sarney (PMDB-AP), prestaram algum tipo de solidariedade e ligaram para a esposa do senador preso.

Leia a nota do presidente do PT na íntegra!