Neste sábado, 19, o Datafolha divulgou uma nova pesquisa sobre as intenções de votos dos brasileiros caso a eleição presidencial fosse hoje. Mais uma vez, #Aécio Neves vence em todos os cenários em que foi citado, bem como #Lula não teria chances diante de nenhum candidato das hipóteses apresentadas.

A pesquisa foi divulgada pelo jornal "A Folha de S. Paulo" e apresentou quatro cenários hipotéticos. No primeiro, figuravam Aécio, Marina, Bolsonaro, Lula, Ciro Gomes, Eduardo Paes, Genro e Eduardo Jorge (do PV). Neste caso, Aécio ficou em primeiro com 26% das intenções de votos.

Em outro cenário, Eduardo Paes é substituído por Michel Temer, mantendo-se os candidatos do cenário anterior.

Publicidade
Publicidade

Aécio permanece em primeiro lugar, dessa vez com 27% das intenções de votos. Em média, 15% dos entrevistados responderam não ter certeza em qual candidato votariam para presidente do Brasil, apenas gostariam que o país se livrasse do PT.

Índices de rejeição na pesquisa

A referida pesquisa perguntou aos entrevistados, inclusive os que não souberam opinar, em qual candidato eles não votariam por hipótese alguma e o resultado foi o seguinte:

Luís Inácio 'Lula' da Silva aumentou seu índice de rejeição para 48%, liderando na lista da pesquisa. Aécio e Michel estão empatados com 26%, Alckmin com 21 % e Bolsonaro, Marina e Ciro Gomes com 17%. O DataFolha entrevistou 2810 cidadãos de 172 cidades de todo o Brasil. 

Um ano difícil para a política nacional

Um ano após as #Eleições que à portas fechadas apurou e reelegeu Dilma presidente do Brasil, o país vive um verdadeiro caos político.

Publicidade

Enquanto a popularidade da presidente caiu, a inflação voltou e um pedido de Impeachment formulado por um dos fundadores do PT foi aceito pelo presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha; a economia brasileira cai cada vez mais.

O governo tenta buscar apoio dos poucos aliados que restaram após alguns rompimentos e apela para novos "parceiros" políticos junto ao senado e STF para poder barrar o Impeachment. Ao mesmo tempo, as investigações da Operação Lava Jato ligam cada vez mais nomes e desvios de dinheiro público à pessoas ligadas ao governo. Lula está sendo investigado e não tem tido contato com a mídia durante essa fase, não se manifestando, inclusive, sobre o Impeachment de Rousseff.