Após a Polícia Federal realizar buscas na casa de #Eduardo Cunha na manhã dessa terça-feira, 15, o presidente da Câmara dos Deputados deixa claro que não vai renunciar e vai mais além, declarando que "o Partido dos Trabalhadores assaltou o Brasil".

Eduardo Cunha ainda diz que estranhou que as buscas da PF tenham ocorrido enquanto prossegue um processo de Impeachment contra Dilma Rousseff e no mesmo dia em que é decidido o prosseguimento do processo de cassação do parlamentar. Além do mais, nesse mesmo dia, o STF negou que ocorressem buscas na residência de Renan Calheiros, tornando a situação um tanto suspeita.

Cunha disse, mais uma vez, que não irá renunciar ao cargo de presidente da câmara e afirmou que o #PT é o responsável pelo "maior assalto que o Brasil já teve com a #Corrupção da Petrobras".

Publicidade
Publicidade

O parlamentar afirmou que a Operação de última hora, dentro do prazo que o mesmo tem para se defender no processo, comprova que não possuem provas contra ele e que estão correndo contra o tempo para encontrar algo que o incrimine e tirar o foco da mídia e da população sobre o Impeachment de Dilma e dos corruptos que estão sendo desmascarados.

Cunha: o alvo para salvar a reputação do PT

A base do governo de Dilma Rousseff anda super estressada com a nova CPI da Petrobras criada por Eduardo Cunha. Com as investigações, além da Lava Jato, políticos influentes do PT já foram presos e outros estão sendo investigados. Além disso, cada vez mais o nome de Lula é ligado às investigações.

Após Cunha aceitar o pedido de Impeachment, o PT possui motivos de sobra para querer que a pior crise da história do partido seja abafada por investigações ou polêmicas envolvendo o presidente da Câmara.

Publicidade

Depois de ser explicitamente investigado, Lula tem evitado a mídia a fim de não conferir entrevistas que venha a comprometê-lo, tanto que após o pedido de Impeachment ser aceito, ele não apareceu para defender a 'companheira' Rousseff.

O partido tem usado a militante petista, Bia Lula, neta de Lula, para mobilizar jovens sob gritos de 'Fora Cunha' e 'Fora Levy', manifestando-se contra os 'golpistas' (oposição) e os 'corruptos' de outros partidos que não seja o PT.

Sendo assim, com a cassação ou investigação de Cunha, o PT ganha tempo para conseguir impedir o prosseguimento do processo de Impeachment, do qual já há pedido de arquivamento por parte do governo.